Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, Congresso de Administração do Sul de Mato Grosso - 2019

Tamanho da fonte: 
CAPITAL HUMANO, CULTURAL E SOCIAL E A PERCEPÇÃO QUANTO À EMPREGABILIDADE DE ALUNOS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE UMA UNIVERSIDADE PÚBLICA
Edilson Santos Braga, André Luís Janzkovski Cardoso

Última alteração: 14-12-19

Resumo


O mercado de trabalho tem passado por profundas mudanças, trazendo à tona novas exigências no tocante à empregabilidade dos diversos profissionais, entre eles os administradores. A empregabilidade por sua vez, é compreendida como a capacidade de adaptação dos indivíduos às novas exigências do mundo do trabalho e das organizações por meio do desenvolvimento de competências relacionadas ao capital humano, capital cultural e ao capital social. Ademais, a empregabilidade deve ser entendida como um processo de busca constante sustentado por pilares, tais como, Adequação Vocacional, Competência Profissional, Idoneidade, Saúde Física e Mental, Reservas Financeiras e Fontes Alternativas e Relacionamento. Diante disso, este trabalho tem como objetivo central, analisar a percepção dos alunos do curso de administração de uma universidade público no que diz respeito ao desenvolvimento e a sustentação de sua empregabilidade. Quanto aos procedimentos metodológicos, foram utilizadas as abordagens qualitativa e quantitativa. A coleta de dados ocorreu, inicialmente, por meio de entrevista com alunos e professores levantando informações sobre a empregabilidade. Essas entrevistas conjugadas com estudos anteriores auxiliaram na elaboração de um questionário com questões fechadas que foi enviado a cerca de 500 alunos. Os dados das respostas foram tabulados em planilha eletrônica e posteriormente transportadas e analisadas empregando análise fatorial, análise de correlação, comparativo entre médias e análise de cluster, por meio do software SPSS 20 (Statistical Package of Social Sciences). Com a análise fatorial, chegou-se em 9 fatores que explicaram 71% da variância dos dados da pesquisa no que diz respeito às assertivas escalares. Quanto às assertivas não escalares (dicotômicas ou categoriais), foram testados alguns agrupamentos de cluster, onde se percebeu que 3 clusters distinguiam os respondentes quanto à presença ou ausência de elementos relacionados ao desenvolvimento dos capitais humano, cultural e social. Além disso, pôde-se observar a existência de um grupo de alunos que se destacava entre os demais no desenvolvimento de sua empregabilidade. Com base nas discussões, foi elaborado um modelo que delineou a construção da empregabilidade pelo inter-relacionamento entre os tipos de capitais e os pilares para a sustentação da empregabilidade, tendo como elemento principal o próprio indivíduo e suas atitudes.


Texto completo: PDF