Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, IX Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Efeito do Hibiscus sabdariffa sobre o perfil lipídico e glicêmico em ratos com obesidade induzida por dieta.
Karla Eduarda Von Dentz

Última alteração: 28-09-17

Resumo


A obesidade é uma doença endócrina metabólica crônica, sendo considerada uma epidemia global. O Hibiscus sabdariffa (Hs) é uma planta popularmente utilizada no tratamento de distúrbios metabólicos, por apresentar efeito terapêutico como anti-obesidade, redutor da resistência à insulina, hipocolesterolemiante, dentre outras ações cientificamente comprovadas. O estudo teve como objetivo avaliar o efeito terapêutico do extrato etanólico de Hs sobre o perfil lipídico e glicêmico de ratos com obesidade induzida por dieta. Para o estudo experimental foram utilizados 14 ratos Wistar machos com 60 dias de idade. Os animais receberam dieta hipercalórica (DH) durante seis semanas. Após este período os animais foram randomizados para continuarem recebendo apenas dieta hipercalórica (DH) ou para receberem dieta hipercalórica e tratamento com extrato etanólico Hs (DH+Hs), durante seis semanas. Os animais tratados receberam diariamente uma dose de 150mg/kg do extrato, diluída em 4ml/kg de solução fisiológica e administrada via intragástrica. O grupo DH recebeu dose diária de 4ml/kg de solução fisiológica via intragástrica. Um grupo controle de mesma idade, recebendo ração comercial para animais de laboratório, foi utilizado como referência para caracterizar a obesidade. Ao final do tratamento os animais foram submetidos ao Teste de Tolerância Oral à Glicose, e posteriormente eutanasiados e coletado amostra de soro para análise do perfil lipídico. O protocolo experimental foi eficiente em promover a obesidade nos animais, verificado pelo índice de adiposidade (C=4,84±1,88 x DH=12,1±1,35, p <0,0001). Entretanto, o tratamento com Hs não foi capaz de alterar, significativamente, o índice de adiposidade nos animais obesos (DH=12,1±1,35 x DH+Hs=11,7 ±1,61, p=0,7). O tratamento com Hs apresentou uma diminuição dos níveis de glicose, evidenciados pela área sob a curva glicêmica; contudo, não foi capaz de influenciar o perfil lipídico dos animais. Dessa forma, conclui-se que o tratamento com Hs, por seis semanas, apensar de não minimizar o ganho de gordura corporal e interferir no perfil lipídico, foi capaz de melhorar a resistência à insulina, evidenciando um efeito benéfico do Hs em comorbidade associada à obesidade.