Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
O Sol e a Lua: uma análise dos símbolos e ritos do Vale do Amanhecer
Alan dos Santos Costa

Última alteração: 11-10-19

Resumo


Esta pesquisa visa produzir uma etnografia sobre a performance dos adeptos da Doutrina do Vale do Amanhecer em Cuiabá (MT) durante a realização de seus rituais, a relação com os símbolos presentes na arquitetura dos templos e a relação entre essa performance e os espaços. As visitas a campo para a observação participativa e entrevistas com adeptos e não adeptos da Doutrina, além de revisão bibliográfica foram ocasiões de acesso metodológico para esta abordagem antropológica. Assim, traz à tona uma Doutrina Espiritualista Cristã composta pelos seus próprios participantes, por vezes associados a conceitos de outras doutrinas como o Espiritismo e a Umbanda. Inicialmente, busca ver se os proeminentes símbolos carregados de significados transcendentais que, por vezes se tornam representações de subgrupos dentro do corpo mediúnico, pode ser caracterizado como totêmico, ou terá que encontrar categorias próprias para expressar este fenômeno, no caso deste segmento religioso ímpar chamado Vale do Amanhecer.


Palavras-chave


Vale do Amanhecer, Rituais, Simbolismo, Arquitetura, Performance