Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
TRIGO BRS 394 IRRIGADO NO CERRADO MATO-GROSSENSE: INTERAÇÕES NITROGÊNIO-POTÁSSIO E NITROGÊNIO-ENXOFRE
Carolina Silva Alves dos Santos, Edna Maria Bomfim da Silva, Tonny José Araujo da silva

Última alteração: 01-10-19

Resumo


O trigo irrigado vem ganhando espaço junto às cultivos de inverno no Cerrado, sendo produzidos em média 6 t ha-1 de trigo de alta qualidade na região Centro-Oeste na safra 2016/2017. Assim, objetivou-se estudar as interações entre nitrogênio-potássio e nitrogênio-enxofre no cultivo de trigo irrigado BRS 394 no Cerrado mato-grossense. Os experimentos foram realizados em campo na área experimental do Campus Universitário de Rondonópolis no ano agrícola de 2018. Realizaram-se dois experimentos com trigo irrigado cultivar BRS 394. No experimento 1 foram estudou-se combinações de doses de nitrogênio e potássio e o no experimento 2 estoudou-se as combinações de doses de nitrogênio e enxofre. O delineamento experimental dos experimentos foi em blocos casualizados em estudos de superfície de respostas baseado em desenho experimental composto central modificado de um fatorial 52, fracionado. No estudo das interações entre as doses de nitrogênio e potássio (experimento 1: N-K ) foram utilizadas cinco doses de nitrogênio (0, 70, 140, 210 e 280 kg ha-1) e cinco doses de potássio (0, 50, 100, 150 e 200 kg ha-1). No estudo das interações entre as doses de nitrogênio e enxofre (experimento 2: N-S ) foram utilizadas cinco doses de nitrogênio (0, 70, 140, 210 e 280 kg ha-1) e cinco doses de enxofre (0, 25, 50, 75 e 100 kg ha-1), com 4 repetições, totalizando 52 parcelas experimentais.  O manejo da irrigação foi realizado de acordo com a demanda atmosférica local, utilizando o modelo de Penman-Monteith. A caracterização das áreas experimentais será realizada por meio de análises químicas e físicas do solo. Com base nas análises químicas foram determinadas a soma de bases (SB), capacidade de troca catiônica (CTC) e saturação por bases (V%). A recomendação de adubação para implantação da cultura, exceto nitrogênio, potássio e enxofre, foi baseada na análise química do solo. No experimento 1 (N-K) utilizou-se como fonte de nutrientes a ureia e cloreto de potássio. Foram aplicadas 30% das doses de nitrogênio e potássio por ocasião da semeadura e 70% aplicadas em cobertura no inicio do perfilhamento do trigo. No experimento 2 (N-S) utilizou-se a ureia e enxofre elementar. Foram aplicadas 30% das doses nitrogênio por ocasião da semeadura e 70% em cobertura no inicio do perfilhamento do trigo. Analisou-se a produtividade por ocasião da colheita na área útil de 4,5 m2. O software R foi utilizado para as análises estatísticas a 5% de probabilidade. Houve ajuste ao modelo de superfície de resposta para os dois experimentos. No experimento 1(N-K) a produtividade do trigo observada nas doses combinadas de nitrogênio (154,05 kg ha-1) e potássio (134,78 kg ha-1) apresentou uma produtividade máxima de grãos de 3.043 kg ha-1. No experimento 2(N-S)observou-se maior produtividade (3888 kg ha-1) na combinação de adubação com nitrogênio de 216,31 kg ha-1 combinada com a dose de enxofre de 63,19 kg ha-1. Os estudos das interações dos nutrientes N-K e N-S são importante para otimizar a produtividade do trigo BRS 394 no Cerrado mato-grossense.


Palavras-chave


Triticum aestivum L.; adubação nitrogenada; adubação sulfatada.