Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
PERCEPÇÕES DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO DE ESCOLARIZAÇÃO E O AVANÇO DA BARBÁRIE SOCIOAMBIENTAL: OLHARES TRANSDISCIPLINARES
Ana Paula Malta Rodrigues Braga

Última alteração: 19-09-19

Resumo


O processo de neoliberalização que tem ocorrido nas últimas décadas nos Estados capitalistas, caracteriza-se no cenário global em um panorama de ultra exploração da força de trabalho humana e dos recursos naturais, o que constitui uma verdadeira crise socioambiental e civilizatória. Acompanhamos as crescentes notícias do aumento do número de desempregados e de pessoas sobrevivendo abaixo da linha da pobreza, bem como a recorrência de crimes ambientais como rompimentos de barragens em áreas de mineração e desmatamento e queimadas em biomas tropicais. Todas estas ações são provenientes do estabelecimento dos princípios capitalistas neoliberais que valorizam a acumulação de capital em detrimento da exploração humana e dos recursos naturais. Este modelo econômico cria uma atmosfera de competição humana pautada no individualismo e nos bens materiais, o que leva a um estilo de vida fugaz e consumista. Mediante a esta atmosfera algoz da contemporaneidade, a necessidade de situarmos nossos olhares e mentes para o panorama político-socioambiental se torna uma demanda emergente. Assim, entende-se a necessidade de se trabalhar para uma consciência crítica e uma conciliação do “eu” no mundo, de como o sujeito se vê e interage com este planeta do qual faz parte. Essa interação se dá tanto no âmbito dos recursos naturais quanto políticos e sociais, pois estes estão intrinsecamente ligados e não há como pensar na preservação de um sem a noção do outro. Neste sentido, este trabalho tem por objetivo geral investigar a forma de perceber o ambiente socioambiental das (os) estudantes dos cursos de licenciatura da Universidade Federal do Mato Grosso – Campus de Rondonópolis, que serão possíveis educadoras(es) ambientais nas redes públicas e/ou privadas de ensino. Para atender ao objetivo, entendemos que a abordagem qualitativa e a pesquisa-ação-participativa é a  metodologia que mais atende a proposta. No caminho da pesquisa-ação que tem por característica a constituição dos sujeitos participantes, também como pesquisadoras(es), nesta investigação, espera-se que haja uma aproximação entre pesquisadora e integrantes dialogando e sendo elementos (re)construtores das narrativas que surgirem. Para tal, pretendemos realizar encontros em grupo com as(os) graduandas(os) que aceitarem colaborar com esta proposta. Como bases para análise tanto as narrativas das percepções dialogadas quanto a fotografias do meio socioambiental, a serem produzidas pelo coletivo, se constituirão como instrumentos mediadores da percepção das(os) licenciandas(os) com o ambiente. Assim como suas emoções, expectativas, e experiências corroboram com a percepção socioambiental crítica. Estes dados deverão ser devidamente registrados em caderno de campo e gravações, mediante aprovação prévia do projeto no comitê de ética e o consentimento das(os) participantes. Para a analisar os materiais buscaremos o apoio na fenomenologia para interpretação e descrição dos fenômenos que se apresentarão. Os significados e interpretações serão construídos não de forma independente, mas em uma relação conjunta entre pesquisadora e sujeitos nos encontros a serem realizados. Nesta perspectiva, a investigação pretende colaborar com as pesquisas sobre Formação de Professores e Políticas Públicas Educacionais, vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEdu/UFMT/CUR), no caminho de se pensar as estratégias que possam contribuir com os Estudos na área da Educação Ambiental Crítica.

Palavras-chave


Percepção Ambiental; Políticas Socioambientais; Neoliberalismo.