Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Ambientes Virtuais de Aprendizagem e os Cursos online da UFMT
Alessandra Maieski

Última alteração: 24-09-19

Resumo


Apresenta-se nesse resumo, os resultados parciais da pesquisa de Mestrado, realizada no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE), na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), na linha de pesquisa Organização Escolar, Formação e Práticas Pedagógicas, no âmbito do grupo de pesquisa Laboratório de Estudo sobre as Tecnologias da Informação e Comunicação na Educação (LêTECE). É indiscutível a relevância dos Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVA) como espaços de formação, devido a sustentarem “lugares” de outras e novas apropriações das práticas pedagógicas. Justamente por isso a importância de pesquisas, discussões e problematizações voltadas para os processos formativos na EaD, assim como para o uso dos AVA. Nesse sentido, o objetivo geral dessa pesquisa é analisar o uso dos AVA nos cursos online na UFMT no sentido de se reconhecer, ou não, processos e procedimentos de interação e mediação. E os objetivos específicos são, identificar os elementos de interação e mediação que se constituem nos AVA e identificar as práticas colaborativas que se desenvolvem por meio dele. Em termos metodológicos, a abordagem utilizada é qualitativa, com a metodologia da observação participante; os dados extraídos dos relatórios de atividades do Moodle e os obtidos por meio da observação direta das nove disciplinas selecionadas, levando em consideração os processos de participação com o uso dos recursos de comunicação disponíveis nos AVA, em três cursos de Graduação: Bacharelado em Administração Pública, Licenciatura em Ciências Naturais e Matemática e Licenciatura em Pedagogia, compõe o corpus dessa pesquisa. A pesquisa indica que, apesar das possibilidades anteriormente postas, faz-se necessária uma discussão sobre políticas públicas e institucionais, sobre o trabalho docente e do tutor, e, no caso da EaD, sobre o “lugar” do aluno no contexto da cultura digital e da sociedade conectada. Desse modo, converge-se o uso significativo das TIC/AVA. Ressignificar os processos educativos em seus currículos, modos e maneiras de se trabalhar o escolar, entendido aqui como espaço da educação formal e o pedagógico, sem ter por horizonte a constituição de uma cultura escolar que faça ruir as estruturas do que já está cristalizado, é matar no nascedouro algo que traz em si um devir. Trabalhar com as TIC e AVA na Cultura Digital é um desafio que exigem práticas pedagógicas docentes que demandam muito trabalho, pesquisa e exploração, buscando condições para o exercício do diálogo e da interação entre todos os atores envolvidos nesse processo, assim como a mediação docente que é essencial para a construção do conhecimento, para que os AVA não se tornem apenas repositórios de conteúdo. Portanto, trabalhar os limites institucionais, considerando os sujeitos que habitam os universos educacionais, sejam eles alunos, professores, gestores e entre outros, além do tutor no caso da EaD, significa compreender como o uso das TIC/AVA tem se projetado no trabalho pedagógico. Com isso, entendem-se os contextos e entornos em que essas Tecnologias e Ambientes se realizam, e é esse o desafio posto aos educadores hoje.

Palavras-chave


Ambientes Virtuais de Aprendizagem; Formação online; Mediação; Interação