Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
PRODUÇÃO DE FITOMASSA E LIBERAÇÃO DE NUTRIENTES POR CULTURAS DE COBERTURA NA PRODUTIVIDADE E QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE SOJA EM SISTEMA DE PLANTIO DIRETO
Ivan David Saikhonem

Última alteração: 20-09-19

Resumo


O sistema de plantio direto é uma prática conservacionista que visa o mínimo de revolvimento do solo, a rotação de culturas e cobertura permanente do solo. A adição de culturas de cobertura com propriedades potencializadoras da qualidade e fertilidade do solo são fundamentais para o sucesso dessa prática. A palhada remanescente, além de aumentar a matéria orgânica do solo, contribui com a nutrição das plantas liberando nutrientes gradativamente. Essa lenta liberação pode auxiliar a produção de sementes pois no período de enchimento dos grãos nutrientes ainda estariam presentes nas camadas superficiais do solo evitando estresse nutricional. A matéria orgânica aumenta a capacidade de campo do solo, o que pode ser determinante em épocas de estiagem prolongada. O objetivo do presente trabalho é avaliar a influência da produção de fitomassa e liberação de nutrientes da palhada de culturas de cobertura na qualidade e produtividade de sementes de soja em sistema de plantio direto. O experimento será realizado na área experimental da Universidade Federal de Mato Grosso, Campus Universitário de Rondonópolis no ano agrícola 2019/20 sendo o quinto ano de condução. O solo foi classificado como Latossolo Vermelho distrófico com relevo plano. O delineamento será em blocos casualizados, com nove sistemas de produção e quatro repetições em unidades experimentais de 7 m x 9 m. Os tratamentos serão: S1: Pousio plantio direto (PD) com plantas espontâneas; S2: Pousio preparo convencional (PC); S3: C. spectabilis; S4: Milho+C. spectabilis; S5: P. glaucum; S6: U. ruziziensis; S7: Mix: P. glaucum + C. spectabilis + C. cajan + U. ruziziensis; S8: V. unguiculata; S9: Milho+U. ruziziensis.. Todos os sistemas da safrinha serão implantados de fevereiro a março. A semeadura da soja será feita entre outubro e novembro. Na safrinha será feita adubação apenas nos sistemas com milho. Nas culturas de cobertura e na soja serão determinadas a produção de fitomassa no momento do florescimento e senescência e concentração de nutrientes. As avaliações de taxa de cobertura do solo, decomposição e liberação de nutrientes da fitomassa das culturas de cobertura durante a safra serão realizadas imediatamente antes da dessecação em outubro de 2019, e repetidas aos 15, 30, 60, 90 e 120 dias após a dessecação de manejo (DAD). A produtividade da soja na safra será avaliada por meio de coletas em duas linhas de dois metros, expressos em kg ha-1 (padronizadas em 13% umidade). Após a colheita as sementes de soja serão submetidas aos testes de germinação, crescimento de plântulas e condutividade elétrica. Os resultados qualitativos serão submetidos à análise de variância e, quando significativos, nos dados qualitativos será realizado o teste Scott-Knott a 5% de probabilidade por meio do software. Já os dados quantitativos serão ajustados em equações, com auxílio do software SIGMA PLOT 10.0. Espera-se que os sistemas com diversificação de culturas de cobertura, proporcionem um melhor resultado na incrementação da fitomassa no solo, pois a maior diversidade vegetal contribui para a melhoria da fertilidade do solo consequentemente na maior produção de sementes vigorosas.

Palavras-chave


Decomposição, eficiência nutricional, Qualidade fisiológica de sementes