Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
A relevância das práticas educativas no desenvolvimento infantil: uma proposta de intervenção com pais
Juliana Da Cas Machado, Paola Biasoli Alves

Última alteração: 11-10-19

Resumo


O conceito e as vivências do ‘ser família’ passa por diversas transformações em sua composição e nos significados partilhados ao longo da história da humanidade. Os genitores/cuidadores assumem diferentes formas de educar, cuidar e socializar seus filhos. Há questionamentos sobre as práticas educativas e estilos parentais no contexto familiar e seus efeitos no desenvolvimento infantil. Para a Psicologia, o Estilo Parental é definido como o conjunto de práticas educativas utilizadas pelos pais na relação com os filhos e elas podem ser positivas ou negativas, refletindo no desenvolvimento das crianças, principalmente quanto à aquisição de comportamentos antissociais ou pró-sociais. Na perspectiva do Modelo Bioecológico do Desenvolvimento Humano, o desenvolvimento é definido um processo de interação entre o indivíduo e o meio, permeado por mudanças e continuidades das características biopsicológicas dos indivíduos e dos grupos. Deste modo, a família é o primeiro ambiente ao qual a criança está inserida, e é percebida como um microssistema que tem fundamental relevância no processo de desenvolvimento dos sujeitos. Atualmente, no contexto do estado do Mato Grosso, são escassos os estudos que estejam vinculados a práticas educativas e orientação de pais, tornando-se assim, uma temática pouco explorada. O objetivo do estudo é descrever e analisar as características das famílias que buscam atendimento psicológico para suas crianças em uma clínica-escola, bem como, as práticas educativas que envolvem as relações entre esses pais e estas crianças. Propõe-se a realização de um grupo de orientação para pais de acordo com o Modelo Bioecológico do Desenvolvimento Humano. Esta pesquisa está fundamentada na Inserção Ecológica, que é uma metodologia que prioriza a inserção do pesquisador no ambiente do estudo. A pesquisa envolverá famílias de crianças inscritas para atendimento psicológico e que aguardam o atendimento na fila de espera. Serão selecionadas dez famílias que tiverem crianças com idades entre 6 e 10 anos e que realizarem as inscrições até outubro de 2019. Inicialmente, serão analisadas as fichas de inscrições para atendimento psicológico infantil e as fichas de triagem, buscando uma análise quantitativa das principais queixas que levaram as famílias a buscarem atendimento psicológico. Posteriormente, as famílias serão contatadas e convidadas a responderem o Inventário de Estilos Parentais – IEP (Gomide, 2011), instrumento que é composto por 42 questões que correspondem a sete práticas educativas. As famílias que responderem ao IEP serão convidadas a participarem de um grupo de orientação de pais para discutir modelos de práticas educativas por meio de um espaço de troca de informações e experiências sobre o cotidiano de socialização infantil. Os dados dos encontros serão analisados de acordo com a abordagem qualitativa descritiva e o IEP será analisado de acordo com os parâmetros nacionais constantes no manual de correção e interpretação do instrumento. Através deste estudo, propõem-se contribuir com possibilidades de intervenções mais eficazes e pontuais na prevenção e promoção de saúde mental das crianças.


Palavras-chave


Estilos parentais; práticas educativas; família; parentalidade