Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
A FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA AS PRÁTICAS DE LÍNGUA INGLESA: UMA PROPOSTA ITINERANTE
Antonio Marcos da Cruz Lima

Última alteração: 24-09-19

Resumo


O presente estudo investiga a respeito da inserção da língua inglesa para crianças nos anos iniciais do ensino fundamental, especificamente no segundo ciclo (4º e 5º anos).  A inquietação se instaura no que tange ao conhecimento do profissional docente que leciona esse conteúdo nas escolas municipais de Rondonópolis/MT, visto que, é o professor unidocente que desenvolve a tarefa de ensinar língua inglesa sem receber a formação do referido idioma enquanto graduando de pedagogia. Assim, ter como atribuição da docência a prática da língua inglesa para a crianças, consiste para ele um grande desafio, ansiedade e inquietações. A investigação em pauta, origina-se de uma pesquisa recente, de 2018, concluída e socializada, diferenciando-se em seu formato, ou seja, na pesquisa anterior houve uma reivindicação junto ao projeto colaborativo OBEDUC/ Rondonópolis – Mato Grosso (MT), para que se ofertasse formação de língua inglesa para professores pedagogos com as necessidades formativas supracitados. Desta forma, desenvolveu-se um minicurso formativo de 20 horas, em uma escola municipal de Rondonópolis, porém devido alguns percalços, iniciou com 26 partícipes e concluiu com 10. A desistência ocorrera devido a distância, cansaço dos professores para se dirigirem à escola onde se ofertava o curso, muitas vezes há 8km do trabalho, o fato de o curso ser noturno para a tender a todos, entre outros fatores. Entretanto, face a situação de evasão da pesquisa relatada, esta investigação se diferencia na proposta, ou seja, insere no projeto o professor itinerante, isso é, o formador vai até a escola dos professores iniciantes e lá ofertará um minicurso formativo de 80 horas. O objetivo da pesquisa é investigar se a itinerância na oferta da língua inglesa propiciada aos professores no próprio ambiente de ensino favorece além de uma aprendizagem significativa, a permanência dos mesmos ao longo do referido minicurso. A metodologia é de natureza qualitativa e insere-se no tipo de pesquisa formação. Para o levantamento de dados utilizou-se a entrevista semiestruturada e os relatos do diário de campo das professoras participantes e do pesquisador. Os resultados têm apontado que o curso sendo ofertado nas escolas onde as participantes exercem sua profissionalidade, faz com que o engajamento e a aprendizagem sejam mais eficazes, pois todas estão no mesmo nível linguístico e compartilham dos mesmos desafios e sentimentos frente ao lidar com a língua inglesa, clarificando que o curso de caráter itinerante tem amenizado as necessidades formativas e as inseguranças relatadas.


Palavras-chave


Formação continuada, Práticas de língua inglesa, Itinerância.