Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Cinema, música e educação: representações de processos educativos no filme The Wall
Lucas Codorniz Morais

Última alteração: 23-09-19

Resumo


A presença de imagens e sons, seja na TV, no cinema, nas redes sociais ou em plataformas como Youtube, constituem-se em linguagens que se mostram dominantes em nossa sociedade contemporânea. O consumo dessas mídias, principalmente aquelas que são endereçadas às crianças e jovens, ajudam a emaranhar as opiniões e as vidas cotidianas das pessoas. Diante disso, um campo de estudos críticos sobre a cultura midiática pode fornecer ferramentas teóricas para que se proceda a leitura dessas mídias dominantes e se fortalecer,  ressignificando e criando novas formas de cultura. Muitas produções cinematográficas apresentam representações de crianças e jovens, retratando processos educacionais que possibilitam uma ampla pesquisa utilizando-se do próprio produto cultural. O filme “The Wall” do diretor Alan Parker, de 1982, baseado no álbum homônimo da banda de rock Pink Floyd (lançado em 1979), mostra o personagem Pink sofrendo violência verbal e física na sala de aula, diante da representação do professor e da escola em que ele estuda. Nessa cena se tem a incidência da trilha sonora da música “Another Brick in the Wall (parte2)”. Problematizar essas questões de representações no campo educacional tem se mostrado como possibilidade de investigar teorias que tratam da chamada pedagogia cultural. Aliado a isto, estudos acerca da infância e juventude, elaborados por autores com noções críticas desses processos, reconhecem a criança ou o jovem como sujeitos dotados de subjetividade e valor por si só e não como uma mera “fase da vida”. Complementando o processo de pesquisa, o uso da análise cinematográfica e musical do filme fará parte do trabalho, com o aporte das abordagens da Cultura da mídia e dos Estudos Culturais, campo este que se inicia no centro de Estudos da Cultura na Universidade de Birmingham na Inglaterra, a partir da década de 1960 e vem se desenvolvendo como um importante  campo que trabalha questões como cultura, conhecimento e poder. Nesta perspectiva, a investigação pretende colaborar com as pesquisas sobre Infância, Juventude e Cultura Contemporânea: direitos, políticas e diversidade, vinculada ao programa de Pós-Graduação em Educação/UFMT/Rondonópolis (PPGEdu).

Palavras-chave


Educação; Estudos Culturais; The Wall