Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Série de poema e Poema serial: uma leitura da serialidade na poesia visual contemporânea
Livia Ribeiro Bertges

Última alteração: 07-10-19

Resumo


A poesia visual contemporânea alarga os moldes de ver e de demonstrar novas experimentações a partir dos usos da serialidade. Esta pesquisa propõe discutir a serialidade nos poemas visuais de acordo com uma metodologia de leitura baseada nas definições de série de poemas e poema serial. A serialidade como estrutura de composição da poesia visual é explorada desde a  década de sessenta até a atualidade. Em linhas gerais, a metodologia de leitura criada nos possibilita perceber as relações dos poemas mediante as noções de repetição e diferença (DELEUZE, 2006) que cada processo seriado impõe. Identificamos uma série de poemas quando em uma sequência cada unidade é autônoma do conjunto, enquanto no poema serial toda unidade é dependente do conjunto. Para demonstrar tal metodologia, o escopo deste trabalho abarcará a produção poética de Pierre Garnier, Ilse Garnier e Arnaldo Antunes, escritores que integram o quadro de poetas visuais contemporâneos, no Brasil e na França. Será analisado um poema de cada escritor a fim de exemplificar os processos de série de poema e de poema serial. Para isso, utilizaremos os suporte dos teóricos Deleuze (2006), Blanchot (2005), Kandinsky (1987) e Derrida (2012). Buscaremos apresentar como a poesia visual contemporânea permeia as noções de serialidade e como os poemas visuais podem ser lidos de maneira a ressaltar a estrutura interna repetida, indo além da coabitação entre o verbal e não verbal.


Palavras-chave


Poesia visual, Série de poema, Poema serial