Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
“É ONDE VIVEM OS BRINQUEDOS”: CONTRIBUIÇÕES DE UMA BRINQUEDOTECA UNIVERSITÁRIA PARA EDUCAÇÃO.
ANGELA Lima BITTENCOURT

Última alteração: 23-09-19

Resumo


O presente  texto faz arte de uma pesquisa qualitativa, vinculada ao grupo de pesquisa “Infância, Juventude e Cultura Contemporânea” (GEIJC), da linha de pesquisa “Infância, Juventude e Cultura Contemporânea: direitos, políticas e diversidade”, pertencente ao Programa de Pós-graduação em Educação (PPGEdu), da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), do Câmpus Universitário de Rondonópolis (CUR), Mato Grosso (MT). Tem como principal objetivo compreender como a brinquedoteca da UFMT/CUR (Laboratório Especial de Ludicidade/Brinquedoteca Profa. Dra. Soraiha Miranda de Lima) contribui para o processo de formação docente dos acadêmicos de Pedagogia. O brincar é, para as crianças, o vínculo primordial que estabelecem entre seu mundo interior e o mundo exterior. É a maneira que elas têm de experimentar, interpretar e expressar, em um movimento de fora para dentro, os significados do mundo, criando seu próprio mundo, seu próprio ser. Mesmo com estudos que apontam a importância do brincar e seu papel formador, são raros os espaços práticos dentro das universidades de ensino superior no Brasil voltados para a prática pedagógica. Por isso justifica-se o estudo sobre uma brinquedoteca universitária na UFMT de Rondonópolis. Metodologicamente, utilizou-se três instrumentos de coleta de dados: 1) Análise dos diários de campo do Projeto Laboratório Especial de Ludicidade/Brinquedoteca Profa. Dra. Soraiha Miranda de Lima dos anos de 2016, 2017 e 2018; 2) entrevista semiestruturada com dois professores fundadores da Brinquedoteca e cinco estudantes e/ou egressos do curso de Pedagogia e que participaram ou participam da Brinquedoteca; 3) observação participante da própria pesquisadora. Paralelamente a esses procedimentos metodológicos, fez-se um estudo bibliográfico sobre os fundamentos da educação, buscando: as contribuições dos estudos antropológicos sobre cultura de Cohn (2000, 2013), Friedmann (1992, 2014, 2015), Willms (2013); as reflexões filosóficas e epistemológicas de Walter Benjamin (1997, 2002)  sobre uma infância emancipatória;  o olhar da abordagem Histórico Cultural em Vigotski (2001), sobre interação social, regras, linguagem; e os estudos da Sociologia da Infância de Corsaro (2011) e Sarmento (1997) sobre agência, cultura de pares, autonomia e criança como produtora e transformadora de cultura. Este estudo afirma a presença da brinquedoteca na universidade como uma iniciativa vinculada ao direito de brincar e ao comprometimento com a formação docente voltada à cultura lúdica e apoiada pelo tripé ensino, pesquisa e extensão.

 


Palavras-chave


Brincar; Fundamentos da Educação Infantil; Brinquedoteca Universitária; Educação Infantil.