Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Educação patrimonial na educação básica em tempo de negacionismo/privatizações dos bens culturais: sentidos
Lidiane Silveira Soares

Última alteração: 23-09-19

Resumo


Introdução: O projeto de pesquisa, propõe investigar como a teoria e prática pedagógica se entrelaçam no processo de ensino aprendizagem, levando em consideração as políticas públicas e discussões que, envolvem o patrimônio histórico cultural e a história da educação em Rondonópolis-MT, com vistas a conhecer e ampliar a discussão sobre a Educação Patrimonial e o ensino de história na sociedade brasileira. O recorte temporal, inicia a partir do ano de 2009 e se estende a 2020. É salutar nessa pesquisa-ação, repensar o sentido dos bens culturais, uma vez que estes são elementos fundamentais na formação dos indivíduos e da cidade, como o Casario Marechal Rondon, espaço de memória coletiva que merece a devida atenção e conhecimento histórico das pessoas, pois o avanço das políticas neoliberais e o negacionismo histórico tem comprometido sua existência enquanto patrimônio. Objetivo: Compreender o sentido político entre educação patrimonial e ensino de história e as implicações na construção da identidade dos sujeitos, além da preservação e da conservação dos bens patrimoniais no sistema neoliberal. Metodologia: A pesquisa teórica metodológica será desenvolvida por meio do levantamento bibliográfico, estudo conceitual, documental e coleta de testemunhos (entrevistas) no que se refere a Educação Patrimonial na educação básica em Rondonópolis-MT, sob o método da história oral. Este último é um recurso de análise relevante, pois oportuniza a reflexão da práxis educativa e o patrimônio histórico cultural na vivência daqueles (as) que fazem parte do processo pedagógico onde estão ou serão inseridos. Assim, compreender as fontes disponíveis requer um esforço não somente de investiga-las, mas também, valorizá-las enquanto documentos que preservam a memória de diferentes sujeitos que constroem a história frente as políticas, sobretudo a do neoliberalismo do século XXI.

 

Educação patrimonial, Historicidade, Neoliberalismo

Palavras-chave


Educação patrimonial; Historicidade; Neoliberalismo