Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E CURRICULARES EM ESCOLAS DA FAIXA DE FRONTEIRA DO MATO GROSSO COM A BOLÍVIA
Gabriel De Miranda Soares Silva

Última alteração: 10-10-19

Resumo


O Brasil possui uma faixa de fronteira com cerca de 16,9 mil quilômetros de extensão, onze Unidades da Federação (UFs) e 588 municípios divididos em sub-regiões nas quais habitam cerca de 11,7 milhões de pessoas e corresponde a aproximadamente 27% do território nacional. Esta diversidade territorial se apresenta com variadas intensidades ao longo da faixa de fronteira com outros dez países na América no Sul. Ao longo desta extensa fronteira, cerca de 730 Km estão na faixa lindeira com a Bolívia e o estado de Mato Grosso, nos quais 450 Km correspondem ao trecho central da linha divisória entre os dois países, que são constituídas de linhas secas e 280 Km de corpos d´água. A linha de fronteira abrange ainda cinco municípios lindeiros, ou seja, que se encontram na linha de fronteira, que são: Cáceres, Porto Esperidião, Vila Bela da Santíssima Trindade e Comodoro. Nossas análises remontam sobre a política pedagógica e práticas de ensino dos professores brasileiros em áreas fronteiriças, se estes buscam nos meios didáticos-pedagógicos incorporar estas temáticas em suas aulas e debates, contribuindo para a não ocorrência de comportamentos preconceituosos e xenofóbicos por parte da sociedade brasileira. Sob a ótica da perspectiva sócioconstrutivista os alunos possuem o saber geográfico, já que a notam no seu cotidiano as diferentes relações do homem com o espaço, e cabe aos professores transpor os conceitos científicos da Geografia aos alunos, assim dando significado a Geografia escolar. Ao pensar o ensino de Geografia nos deparamos com a totalidade das características geográficas e com todas categorias de análises que balizam o pensar/ analisar geográfico. Destacaremos ao longo da pesquisa os conceitos norteadores de território e fronteira e buscando analisar, como estes são empregados no processo de aprendizagem da Geografia. Cabe também um pensar sobre o contexto da escola fronteiriça, se esta está apresentando dentro de suas práticas cotidianas a valorização socioterritorial da área em que está inclusa.


Palavras-chave


Fronteira; Ensino de Geografia; Escola.