Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
EDUCAÇÃO EM SAÚDE COM ADOLESCENTES NO ASPECTO REPRODUTIVO
Jéssica Flávia da Silva Oliveira

Última alteração: 17-10-19

Resumo


Esta pesquisa trata da Educação em saúde com adolescentes no aspecto reprodutivo, uma temática de extrema relevância, destacando uma perspectiva de prevenção e valorização do adolescente e de sua sexualidade. O tema se desenvolveu aliando definições sobre puberdade, aspectos reprodutivos e de prevenção de gravidez precoce e IST’s no espaço escolar. Este estudo decorre do Mestrado Profissional em Ensino de Ciências Naturais, no sentido de geração de um produto educacional, sendo este uma sequência didática que poderá ser utilizada por outros professores para a discussão dessa temática. Assim, a pesquisa é de cunho qualitativo com elementos de pesquisa-ação e articula espaço de discussão e reflexão aos adolescentes, deste modo, foi possível responder ao objetivo da pesquisa, que trata-se de oportunizar ao adolescente informações sobre educação em saúde visando a construção do conhecimento e a adequação de postura responsável e consciente acerca da vivência de sua sexualidade. Para a coleta de dados, realizou-se entrevista semi-estruturada, avaliação somativa, complemento de frase, observação direta e participante e questionário para a validação do produto.A sequência didática dividiu-se em 6 momentos, sendo o primeiro deles, o levantamento de conhecimentos prévios e finalizando com a construção de um jogo  de roleta e cartas.  Para a validação do produto educacional foi utilizado um questionário para avaliação da metodologia e sobre a importância da discussão dessa temática no ambiente escolar. O resultado da pesquisa é satisfatório, pois aponta a importância das aulas de ciências como espaço para reflexão, discussão e sensibilização acerca dos riscos e vulnerabilidades dos adolescentes em relação à sexualidade, principalmente no que tange a gravidez precoce e a transmissão das diversas IST’s. Portanto, concluímos que a educação sexual tem seu início em casa e precisa ter sua discussão ampliada no ambiente escolar, principalmente nas aulas de ciências, que por meio da reflexão crítica contribua com mudanças de comportamento e minimização da vulnerabilidade do adolescente frente às questões discutidas.


Palavras-chave


Adolescente; Saúde; Reprodução