Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
A dramaturgia da luz enquanto potência de criação nos espetáculos OraMortem e Céu.
Karina Figueredo Souza

Última alteração: 16-10-19

Resumo


Esta pesquisa se posiciona como uma investigação das possibilidades e potências da luz enquanto camada dramatúrgica em dois experimentos cênicos, OraMortem do in-Próprio Coletivo e Céu de Volmir Cordeiro. A partir do levantamento de materiais referentes ao processo de criação de ambos os trabalhos, o objetivo é identificar possíveis semelhanças e especificidades, e com isso, analisar o percurso da criação e as propostas de desenhos de luz. Com um embasamento teórico que abarca tanto artistas pesquisadores da luz, como do conceito de teatro expandido, o intuito é, também, despertar um olhar outro para a criação de luz, para a luz enquanto dramaturgia num experimento cênico. Dentre os principais pesquisadores que compõe essa pesquisa estão Camargo (2012), Salles (1998), Fernandes (2018) e Forjaz (2010). Utilizando da perspectiva proposta por Brandão (2016), a dissertação será construída dentro da noção de uma “poética de investigação”, e pretende-se, a partir de uma perspectiva interdisciplinar, contribuir para a compreensão e a abertura de um pensamento em torno do papel da iluminação nas poéticas da dramaturgia contemporânea.

Palavras-chave


iluminação; dramaturgia da luz; teatro expandido.