Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Paisagens culturais na cidade sertaneja: Imaginário e recurso simbólico em Triunfo, Pernambuco
Vera Lúcia Xavier dos Santos

Última alteração: 14-10-19

Resumo


 

Esta pesquisa parte do argumento de que as paisagens culturais constituem recursos simbólicos e econômicos a serem considerados na potencial inserção sistêmica das cidades, incluindo as de pequeno porte, nas distintas redes urbanas do país. O trabalho, de caráter interdisciplinar, busca compreender que equipamentos urbanos constituem a paisagem cultural de um município de pequeno porte como Triunfo, no âmbito da rede urbana estadual de Pernambuco, considerando esta inserção no processo de globalização e as distinções regionais produzidas pela modernização capitalista. A questão que se apresenta é como as paisagens naturais e culturais atuam na constituição imaginária do município e como estas paisagens apresentam-se virtualmente como recursos que potencializam uma imagem do município na rede urbana estadual. A investigação centra-se no município de Triunfo, microrregião do Pajeú, no sertão de Pernambuco. Triunfo possui aproximadamente 15.221 habitantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE,2017) e está localizado a cerca de 400 km da capital Recife. Acreditamos que é necessário ponderar sobre as pequenas cidades, localizadas hierarquicamente em posições subalternas na rede urbana, mas que constituem nós desta rede e que também são afetados pelos processos de globalização, ainda que, de desigual alcance e diferentes formas e meios, comparando-se as grandes cidades. A inserção de municípios de pequeno porte na hierarquia das redes urbanas pode se viabilizar por novas concepções de paisagens culturais. Demanda-se pensar os modos como elas constituem o imaginário da cidade e em que medida conseguem tornar-se recursos na ordem simbólica, com reflexos na atividade econômica. Através de uma abordagem interdisciplinar, recorremos à filosofia de Gaston Bachelard e à antropologia de Gilbert Durand, para compreensão do imaginário, e como o imaginário se reflete em Triunfo. Na geografia, contemplamos leituras em Milton Santos, Roberto Corrêa, Paul Claval, entre outros, através de conceitos geográficos, como paisagens e rede urbana. No campo da Cultura, George Yúdice e Gilles Lipovetsky & Jean Serroy dão suporte para se compreender a cultura na contemporaneidade, ligada a processos globais. O trabalho de tese se adequa ao modelo teórico de pesquisa em comunicação como cultura, na qual comunicação se define tanto pela manutenção quanto pelas transformações da realidade social, buscando diálogo com as ciências sociais e humanas. A pesquisa segue uma abordagem qualitativa, pois pretendemos abarcar dados relativos ao material, mas, também as subjetividades e imaginários, concepções que não se averiguam apenas por um viés numérico ou estatístico. Esta tese desenvolve-se na Linha de Pesquisa em Comunicação e Mediações Culturais do Doutorado em Estudos de Cultura Contemporânea da Faculdade de Comunicação e Artes da Universidade Federal de Mato Grosso (PPGECCO-FCA-UFMT), em Cuiabá, Mato Grosso, Brasil.

 

 


Palavras-chave


Paisagens Culturais, Imaginário, Triunfo-PE