Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Fenomenologia transmidiática: cartografando o clima em Mata Cavalo
Thiago Cury Luiz, Michèle Sato

Última alteração: 24-09-19

Resumo


Este trabalho apresenta, em linhas gerais, a pesquisa de Doutorado que realizei no quilombo Mata Cavalo e que será finalizada em novembro deste ano. A proposta está situada no campo da Educomunicação, cujo mote principal é a construção de uma narrativa transmídia, por estudantes quilombolas da educação básica da Escola Estadual Professora Tereza Conceição de Arruda, sobre os problemas gerados pelo colapso climático e as formas de resistência construídas no quilombo. Tendo em vista que os desastres do clima não atingirão de igual modo os diferentes agrupamentos sociais, vitimando mais fortemente as populações em situação de vulnerabilidade, como é o caso de uma comunidade quilombola, compreendo que é preciso almejar a justiça climática. A metodologia de pesquisa escolhida foi a fenomenologia onírica de Gaston Bachelard, por meio dos quatro elementos da natureza: água, terra, fogo e ar. Ela baliza a “Cartografia do Imaginário”, de Michèle Sato, inspiradora das cartografias do clima que o Gpea empreendeu em Mata Cavalo, no qual esta pesquisa está inserida. Desse modo, estudantes entre 13 e 17 anos produziram conteúdo em áudio, texto, foto e vídeo, que foram compartilhados nas redes sociais, fazendo jus à transmidialidade, corroborada aqui pela convergência midiática, cultura participativa e inteligência coletiva. Para tanto, ministrei uma cartografia que se relacionou com as técnicas de cada mídia, como também foi empreendida para fomentar uma cultura educomunicativa, ainda que as atividades tenham se dado na ambiência da educação popular, sem a legalização de uma sala de aula, status disciplinar ou rigidez curricular. Ao fim das formações e tendo em mãos as produções nas quatro mídias – mais de mil arquivos, majoritariamente fotos –, realizei as entrevistas com dez participantes das atividades, ansiando compreender as impressões que tiveram durante as cartografias e a confecção dos materiais midiáticos. Como resultado, identifiquei que a crise climática já apresenta problemas agudos em Mata Cavalo, como atoleiros, queimadas, irregularidade no abastecimento de água e poluição dos rios da comunidade. Questões de ordem socioambiental também estão presentes no local, como o embate pela terra com latifundiários. Porém, existem belezas singulares, e a narrativa transmídia demonstra que os habitantes do quilombo se orgulham do local onde vivem, com o registro de música, poesia, vídeos e fotos que enaltecem a história e a cultura da comunidade, bem como a sua natureza. Portanto, considero que os estudantes notam que as emergências climáticas estão avançando, dando visibilidade aos problemas ambientais que acometem o seu território, sem que a resistência às injustiças climáticas deixe de figurar no imaginário dos que descendem de pessoas escravizadas.

Palavras-chave


Crise climática, Educomunicação, Mata Cavalo.