Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Estudos Culturais e o legado musical de Lillian Fuchs.
Fernanda Cristina Pavan

Última alteração: 14-10-19

Resumo


Os Estudos Culturais buscam mostrar como as manifestações culturais e artísticas estão em conexão com a sociedade que surgem. A música é um dos elementos fundamentais da cultura, e diante disso podemos refletir sobre como a sociedade é afetada por ela em sua produção de sentidos e significados. A artista Lillian Fuchs, musicista, violista, intérprete, professora e compositora,  fundamentou sua obra a partir de sua percepção de que os violistas necessitavam de material didático adequado ao seu instrumento. Tradicionalmente, os violistas utilizam diversos métodos de estudos transcritos do violino para auxiliar no desenvolvimento técnico da viola, o que resulta em muitos aproveitamentos, devido às várias características comuns aos dois instrumentos. Por outro lado, essa transposição deixa lacunas em relação a algumas especificidades da viola. Diante disso, as obras de Lillian Fuchs integram essa contribuição à literatura da viola, ao proporcionar um material original e eficaz para os violistas de nível elevado, suprindo dificuldades, otimizando estudos e auxiliando na preparação para a performance. Nesse contexto, Fuchs enfrentou duas hegemonias principais diante de sua atuação e criação musical: a do violino e a do homem. A hegemonia do violino por ser um instrumento com muitas semelhanças com a viola e se sobressair nas melodias com seu timbre mais agudo e brilhante, o que pode fazer com que algumas pessoas tenham a impressão de que a viola é um instrumento que está sempre em segundo plano – fato este evidente em determinado período da música, que utilizava mais a viola como instrumento de acompanhamento e preenchimento da harmonia – mas esta concepção vem se modificando principalmente a partir de meados do séc. XX, que proporcionou grande desenvolvimento dos músicos especialistas nesse instrumento e consequente transformação das possibilidades de seus usos nas composições, resultando em virtuosismo dos violistas e aumento da demanda por material didático específico voltado para a preparação, expansão e avanço do repertório próprio para viola. A hegemonia do homem por conta da invisibilidade social de sua obra num escopo de atuação que ainda não reconhece de maneira ideal a produção de mulheres como Fuchs; um sistema de relações de poder que insiste em legitimar as produções por um viés com protagonismo masculino, onde muitas compositoras não têm a visibilidade merecida, embora tenham escrito obras de notória qualidade e eficiência, capazes de afetar a socidade com suas manifestações artísticas. A partir do aprofundamento sobre a vida e obra de Lillian Fuchs, com foco na linguagem de seus trabalhos específicos para viola no século XX e exemplificação a partir da aplicação prática de seus métodos de estudos e repertório, pretendemos entender mais profundamente como a artista transferiu para sua obra as necessidades que tinha em seu contexto de atuação musical e sociocultural, além da divulgação e reconhecimento da contribuição de suas obras para a literatura da viola, justificando a relevância acadêmica e social desta pesquisa.


Palavras-chave


Estudos Culturais e música; mulheres compositoras; métodos de viola.