Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
SÍNDROME DE BURNOUT: Incidência em professores da rede pública estadual de Mato Grosso
helvécio lopes, Evando Carlos Moreira

Última alteração: 01-10-19

Resumo


Esta pesquisa vincula-se ao Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Física Escolar e Práticas Pedagógicas (GEEFE) do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), na linha de pesquisa Culturas Escolares e Linguagens. O estudo tem como objetivo identificar a incidência da Síndrome de Burnout junto à classe docente de nosso estado, bem como a identificação dos possíveis estressores causadores desse fenômeno, avaliando os fatores de enfretamento da síndrome em três dimensões: coping focalizado no problema, coping centrado na emoção e coping de evitação, tais dimensões também realizada em estudos de Dobreva-Martinova, Villeneuve, Strickland e Matherson (2002) e de Litman (2006). Para tanto, a pesquisa discorrerá sobre as diversas mutações impostas ao trabalho contemporâneo advindas das necessidades impostas pelo sistema capitalista e pela modernização e que tem submetido os trabalhadores a vários estressores em seu ambiente de trabalho. Os professores estão expostos a cargas que vão além da pedagógica, e isso pode levar à síndrome de Burnout (SB), fenômeno este composto por três dimensões: Exaustão Emocional (EE), Despersonalização (DP) e sentimentos de baixa Realização Profissional (RP). Entende-se que a categoria docente é uma das mais expostas às situações de pressão no trabalho, o que repercute na saúde física, mental e no desenvolvimento profissional do professor (REIS 2005). Ao relacionar as atividades docentes com a síndrome de Burnout no que se refere ao contexto vivenciado pelos professores de escolas públicas, os problemas são ainda mais sérios, devido ao descaso das autoridades do Estado e a outros fatores, tais como: violência física e psicológica e desrespeito à função docente, o que favorece o adoecimento dos docentes (CARLOTTO, 2002). A pesquisa será desenvolvida em parceria com a Secretaria Estadual de Educação do Estado de Mato Grosso (SEDUC) que viabilizará o acesso institucional ao instrumento para avaliação da Síndrome de Burnout a todos os professores de sua rede de ensino: Questionário para a Avaliação da Síndrome de Quemarse por el Trabajo – CESQT-PE (Gil-Monte, 2005), versão adaptada para o uso no Brasil realizada por Gil-Monte, Carlotto e Câmara (2010). O instrumento conta com 20 itens que se distribuem em quatro subescalas denominadas: Ilusão para o trabalho; Desgaste psíquico; Indolência e Culpa. Os itens são avaliados com uma escala tipo Likert de frequência de cinco pontos (0 “nunca” a 4 “todos os dias”).Os dados serão digitados e, posteriormente, analisados em pacote estatístico Statistical Package for the Social Sciences (SPSS), versão 17.0. O estudo sobre o tema em questão almeja ofertar contribuições significativas para os profissionais da educação pública em Mato Grosso, que são afetados de foram direta ou indiretamente pela síndrome de Burnout, justificando a preocupação e o interesse, pela continuidade aos estudos sobre a síndrome de Burnout no Brasil, conforme carência apontada por Benevides Pereira (2003).

 

 

 


Palavras-chave


burnout - professores - Mato Grosso