Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Evapotranspiração de referência provável nos biomas Mato-Grossenses em cenários de mudanças climáticas
Marlus Sabino

Última alteração: 10-10-19

Resumo


O estado do Mato Grosso destaca-se por sua grande extensão territorial e inserção na área de ocorrência dos Biomas Cerrados, Amazônia e Pantanal, que propiciam uma grande diversidade de situações climáticas, ecológicas, sociais, econômicas, culturais e de processos de produção e desenvolvimento rural e agroindustrial. Sendo, ainda, conhecido pelo contrate entre a alta produção de monoculturas e a degradação ambiental, em especial dos recursos hídricos. Uma das maneiras de maximizar a produção de alimentos, evitando a abertura de novas áreas e reduzindo impactos no ambiente, é por meio do dimensionamento de sistemas de irrigação baseados no consumo de água pelas plantas, como a Evapotranspiração de referência (ETo). No uso de estimativas da ETo por meio de modelos, contudo, há a necessidade de calibração local, uma vez que, diferenças entre o clima do local onde as equações foram desenvolvidas e os locais de estudo podem acarretar a ocorrência de erros grosseiros de estimativa. Deve-se ainda levar em consideração nesses modelos eventuais alterações do clima e suas implicações no consumo de água. Assim, este trabalho busca avaliar o comportamento espacial e temporal da evapotranspiração de referência (ETo), pelo método de Penman-Monteith FAO 56 (PMF), em diferentes níveis de probabilidade, agrupamentos de dados e cenários climáticos, no Estado de Mato Grosso. As bases de dados serão obtidas da rede de estações do INMET, compostas por 35 estações meteorológicas automáticas e 13 estações convencionais. Os dados serão organizados em diferentes agrupamentos de dados (diários, 3-3 dias, semanal e decendial) e verificado seu comportamento mensal, sazonal e anual. Serão avaliadas 12 diferentes funções de distribuição de probabilidade (FDP) para obtenção da ETo provável a 50, 75 e 90% (tempos de retorno de 2,4 e 10 anos). Posteriormente serão considerados os cenários climáticos A2 e B2 e suas implicações nas demais variáveis de entrada de PFM. A melhor FDP será aplicada para obtenção da ETo máxima mensal, sazonal e anual, nos diferentes cenários ambientais, com posterior, distribuição espacial no Estado. Dentre os resultados esperados, o projeto proposto procura preencher uma lacuna de conhecimento pouco explorada no de Mato Grosso, pois a expansão da agricultura irrigada (principalmente por pivôs centrais) é crescente em várias regiões do Estado. Dessa forma, espera-se obter alternativas para aplicação do método de Penman-Monteith Fao 56 nas diferentes regiões do estado, quando ocorrerem limitações de dados ou ausência de estações de monitoramento meteorológico com bases de dados suficientemente longas, que permitam maior precisão nos valores estimados de ETo. Aliado a isso, espera-se ainda, entender os possíveis impactos que os cenários de mudanças climáticas podem gerar nessa componente do ciclo hidrológico para os biomas Mato-Grossenses (e suas áreas de transição). Por fim, pretende-se subsidiar projetos de irrigação com indicação de valores de referência para projetos, aliados, ao entendimento da sazonalidade da ETo para aplicações em programas de manejo de irrigação, ou qualquer aplicação ambiental voltada para os recursos hídricos


Palavras-chave


Manejo de irrigação, distribuições de probabilidade, distribuição espaço-temporal, Penman-Monteith Fao 56