Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
FEIRA CANTASOL: ESPAÇO DE EDUCAÇÃO POPULAR, DE PRODUÇÃO ASSOCIADA E REPRODUÇÃO AMPLIADA DA VIDA
Ivonei Andrioni, Edson Caetano

Última alteração: 26-09-19

Resumo


A presente investigação vincula-se ao Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Trabalho e Educação (GEPTE) do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Mato Grosso. O GEPTE realiza pesquisas sobre a Produção Associada em povos e comunidades tradicionais. Esta pesquisa tem como campo empírico a feira Sistema Canteiros de Economia Sóciossolidária e Agroecológica (CANTASOL), do assentamento Doze de Outubro, no município de Cláudia, no estado de Mato Grosso. Protagonistas de um projeto que se contrapõe à lógica do capital, no interior de um Estado que se identifica como a capital do agronegócio e do pantanal. Objetiva-se visibilizar a feira CANTASOL como espaço de resistência ao projeto do agronegócio e, também, como espaço de construção e socialização de saberes potenciais de um projeto societário ancorado nos princípios do trabalho associado, da educação popular, da produção agroecológica e da produção sócio solidária. Bem como: reconhecer as feiras livres agroecológicas como espaço de relevância econômica, social e ambiental; relatar a percepção dos consumidores sobre as feiras agroecológicas; identificar as potencialidades e as fragilidades para os produtores feirantes agroecológicos livremente associados. Trata-se de uma pesquisa fundamentada no materialismo histórico dialético e que se utiliza de alguns elementos da pesquisa participante. Recorre-se, como instrumentos de pesquisa, à análise documental e à observação participante registrada por meio de diário de campo, de fotografias e entrevistas. Ademais, a análise dos dados está acontecendo por meio da triangulação dos dados, articulando-os com o aporte teórico e com os objetivos da pesquisa. A partir disso, observa-se que os feirantes enfrentaram e enfrentam uma série de dificuldades que vão desde a falta de políticas públicas de custeio para pequenos produtores até a falta de compreensão e apoio de moradores do assentamento que continuam fazendo uso de técnicas de impacto ao meio ambiente, utilizadas na agricultura convencional. Observa-se, também, a existência de políticas públicas do Governo Federal que se contrapõe ao projeto do assentamento Doze de Outubro, como é o caso da instalação da Usina Hidroelétrica de Sinop, que além de alagar parte da reserva comunitária e estradas de acesso aos trabalhadores, também fez com que animais silvestres, animais peçonhentos e insetos buscassem abrigo em áreas residenciais. Além disso, constata-se uma série de aspectos positivos relacionados ao assentamento, como a disponibilidade de alimentos livres de veneno para as famílias urbanas, a recuperação dos solos assoreados pelo agronegócio e o incremento de recursos financeiros para as trabalhadoras e trabalhadores do campo. Conclui-se que na feira CANTASOL transitam princípios do trabalho associado, da produção de transição agroecológica, da educação popular e de saberes tradicionais.


Palavras-chave


Feira CANTASOL; Educação Popular; Trabalho Associado; Saberes Tradicionais.