Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
ANÁLISE DE ANOMALIAS TÉRMICAS EM FUNÇÃO DA GEOMETRIA URBANA EM CUIABÁ-MT
Natallia Sanches e Souza, Marta Cristina de Jesus Albuquerque Nogueira

Última alteração: 10-10-19

Resumo


A alteração no espaço construído compromete de forma severa os recursos naturais e tem repercutido diretamente na alteração do clima local. A modificação do ambiente natural para um ambiente urbano resulta em fenômenos como a ilha de calor urbana, que caracteriza uma temperatura do ar mais elevada em meio urbanos, quando comparada a regiões vizinhas menos urbanizadas. A fim de se produzir um ambiente urbano equilibrado com o meio e adequado às necessidades humanas é necessário considerar uma estreita relação do ambiente urbano com o microclima. O clima de Cuiabá é do tipo Aw de Koppen com temperaturas elevadas, chuva no verão e seca no inverno. Exposto isto, esta pesquisa objetivou analisar anomalias térmicas em função da configuração da geometria urbana em três porções urbanas de Cuiabá-MT. Para isso foram realizadas análises qualitativas e quantitativas de cobertura do solo e de variáveis microclimáticas (temperatura do ar, umidade relativa do ar e direção do vento) obtidas por meio de três estações micrometeorológicas da marca Onset. Com base nos resultados apresentados, a cobertura do solo apresentou-se como fator determinante nas diferenças significativas encontradas entre as variáveis microclimáticas das porções urbanas. Além disso, as alterações antropogênicas, densidade urbana afetaram a temperatura do ar e umidade relativa do ar, assim como a incidência e magnitude de ilha de calor urbana. As maiores temperaturas do ar ocorreram durante o dia, nos horários de maior incidência de radiação solar, a umidade relativa do ar se apresentou inversamente a temperatura do ar e a direção do vento se apresentou como regime de monção, na faixa de norte-leste no período úmido e sudoeste-sul no quente-seco. A anomalia térmica apresentou incidência de ilha de calor urbana e ilha de frescor. De maneira geral, as maiores amplitudes foram encontradas no período quente-seco. Diante disso, este estudo se mostrou adequado para análise da relação das variáveis microclimáticas e da cobertura do solo, apontando incidências e magnitudes de anomalias térmicas. Podendo então demonstrar a importância da análise de cobertura do solo no planejamento urbano de forma a mitigar o rigor climático imposto pelo clima de cidades, ainda em desenvolvimento, como Cuiabá.


Palavras-chave


Porção Urbana; Cobertura do Solo; Ilha de Calor