Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
A presença do conservadorismo católico/integralista na produção intelectual de Lúcio José dos Santos
Luciana Gama

Última alteração: 07-10-19

Resumo


Lúcio José dos Santos (1875-1944) foi um engenheiro, advogado, historiador e educador mineiro. Foi sócio correspondente do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, membro do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais, das Academias de Letras e de Ciências de MG, reitor da Universidade de Minas Gerais, fundador da Faculdade de Filosofia de MG e secretário de educação do estado de MG. Foi importante representante do laicato católico e atuou na Ação Integralista Brasileira como membro do conselho consultivo de Plínio Salgado. Destacou-se entre os anos 1920 e 1930 escrevendo artigos e livros sobre religião, história e educação, com cunho altamente conservador. O objetivo dessa pesquisa é analisar as obras historiográficas e educacioanais de Lúcio dos Santos, com destaque para A Inconfidência Mineira (1927) e Filosofia, Pedagogia e Religião (1936), encontrando elementos de conservadorismo católico e integralista nessas produçõese e cotejando ao contexto sociopolítico do país nos anos 1920-1930. O embasamento teórico se dará com os conceitos de Pierre Bordieu e Giovani Levi para a o levantamento biográfico de Santos, Bordieu para a compreensão dos campos de atuação e do capital simbólico desse sujeito e Robert Nisbet e Karl Mannhein para a compreensão do conservadorismo e suas nuances.


Palavras-chave


Lúcio José dos Santos, Integralismo, Catolicismo, Conservadorismo