Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
ASSOCIAÇÃO ENTRE CARACTERÍSTICAS ANTROPOMÉTRICAS, QUALIDADE DE VIDA E CONDIÇÕES DE SAÚDE DE POLICIAIS MILITARES
Sr Correa junior

Última alteração: 04-10-19

Resumo


INTRODUÇÃO: a investigação da saúde de policiais militares é muito importante que esses profissionais tenham um desempenho profissional satisfatório na atividade operacional deve-se características físicas e composição corporal, estilo de vida e percepção de sua saúde. OBJETIVO: associar características antropométricas, qualidade de vida e condições de saúde de policiais militares. MATERIAIS E MÉTODOS: foram avaliados 37 policiais militares do serviço operacional - patrulhamento ostensivo, nas cidades do interior do Estado de Mato Grosso (Sinop, Tangará da Serra, Cáceres, Alta Floresta e Rondonópolis), selecionados a graduação de cabos da Polícia Militar que possuam mais de 15 anos de serviço na Instituição. Foram coletadas informações sobre as características antropométricas para análise de fatores de risco cardiometabólicas, composições corporais categorizadas entre obesos e não obesos de uma amostra de PMs ativos e inativos classificado pelo Questionário Internacional de Atividade Física-lPAQ. O transtorno de sono foi aplicado pelo "Pittsburgh Sleep Quality lndex" que obteve os domínios de distúrbio e latência do sono. O nível de adiposidade foi realizado pelo analisador de composição corporal, bioimpedância, coletado dados dos percentuais de gordura. E aplicação do questionário Qualidade de vida Pentáculo do Bem-Estar de NAHAS que analisa as dimensões de atividade física, nutrição, estresse, comportamento preventivo e relacionamentos. A análise estatística foi realizada de forma descritiva por meio de médias, medianas e desvio padrão realizadas pelo SPSS versão 24, realizado o teste de Shapiro Wilk, de acordo com a normalidade utilizou-se os testes t para as comparações paramétricas e U de Mann Whitney para não paramétricas, incluindo as correlações entre as variáveis quantitativas. As associações foram realizadas os testes de Qui quadrado e Odds ratio. RESULTADOS: foram analisados 37 policiais militares sendo 27 masculinos e 10 femininos, encontramos média amostral de tempo de serviço de 18±7 anos, massa corporal de 88,4±13,61 Kg; estatura 1, 72±0,05 m; circunferência abdominal 0,95±0,03 cm; IMC 29,67±0,32 kg/m2 e RCQ 0,98±0,15. O tempo médio acumulado de Atividade Física foi 158,98±98, 79 min/sem. A média do tempo sentado entre }.í a Yi do dia foi 423±186 min/dia, com 72% desses com alta prevalência de inatividade física. O nível de atividade física demonstrou a proporção de policiais militares fisicamente ativos em 63,2% e insuficientemente ativos com 36,8%. Com relação à qualidade de vida de policiais militares constatou-se que o nível de estresse (p<0,001, OR=0,30, IC 2,87-4,23), Atividade física (p<0,05, OR= 1,82, IC 1,27-8, 76) e a nutrição (p<0,05, OR=0,76, IC 0,01-0,98) são os fatores maiores implicadores na qualidade de vida de policiais em questão. Os PMs obesos e inativos representam 16(43,8%), p=0,03, OR=O, 734 e apresenta que 21(56,2%) dos PMs obesos/não obesos e ativos (p=0,03, OR=0,469), que possuem distúrbios no sono e latência de sono p=0,01, OR=0,586. CONSIDERAÇÕES FINAIS: Os resultados demonstraram que a associação entre de qualidade de vida, antropométricas, composição corporal e condição de saúde do policial militar contribui para o desenvolvimento de fatores de risco para o desenvolvimento de doenças crônicas metabólicas e cardiovasculares nesse grupo ocupacionaL

Palavras-chave


Estilo de Vida. Doenças. Atividade física. Promoção da saúde. Qualidade de vida. Policial militar