Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
A HISTÓRIA DO NEGRO, ENFERMEIRO PRÁTICO ANTONIO AMARO FERREIRA E AS INVESTIDAS Á NIVEL NACIONAL DE SUPRIMI-LO NA ENFERMAGEM PROFISSIONAL NO SÉCULO XX EM MT
Valdeci Silva Mendes, Candida Soares da Costa

Última alteração: 01-10-19

Resumo


O resumo tem por objetivo apresentar partes de resultados da pesquisa de Doutorado em Educação em fase de qualificação no final do ano de 2019.  Se refere a história do Negro, Enfermeiro Prático, Antonio Amaro Ferreira e seus domínios de saberes e práticas no exercício da enfermagem no século XX em Mato Grosso em atividades por mais de meio século de dedicação na Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá e para além dos limites institucionais desse espaço de saúde. As informações sobre ele foram acessadas em uso de técnicas de coletas de dados correspondentes aos de métodos historiográfico da Micro-História e em uso da História Oral com auxílio de anotações em Diário com a ida a Campo e ocorreram somente após o Projeto de Pesquisa ser autorizado pelo Comitê de Ética em Pesquisa Humanidades da UFMT sob o Parecer de Número 2.697.537 em Junho do ano de 2018. As interpretações das informações acessadas foram realizadas em bases de referências teóricos de análises as categorias raça e gênero, este último em análises com ênfase no masculino, empregadas como conceitos históricos explicativos, identificando-as como instrumentos de governança nacional em uso sistematizado a procedimentos de exclusão social de membros da população negra. Além da identificação e caracterização do Negro, Enfermeiro Prático e de seus domínios de saberes e práticas no exercício da Enfermagem, ao narrar fatos do seu passado oportuniza descortinar os processos de naturalização do racismo em desfavorecimento a população negra no acesso a formação e ao mercado profissional em enfermagem e explicitar como as estruturas institucionalizadas tornou-se sistêmica em evidentes constatação de privilégios cedidos a nível nacional às mulheres brancas à formação profissional em enfermagem no Brasil com acesso facilitado a esse mercado de trabalho, diametralmente opostos na supressão de negros e negras no ingresso à formação e a esse mercado de trabalho formal, ocorrências essas de dimensões de longe alcances, eliminadoras de possibilidades a nível local do Negro Antonio Amaro Ferreira em Mato Grosso no século XX ao ingresso à formação profissional, além de investidas em destituí-lo gradativamente da condição de Enfermeiro Prático, direcionando-o ao fim de sua trajetória de trabalho à Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá a condição apenas de maqueiro.

 


Palavras-chave


Antonio Amaro Ferreira. Negros e Negras. Enfermagem. Racismo Sistêmico. Profissionalização em enfermagem.