Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Uma análise da expansão do agronegócio no alto pantanal mato-grossense e seus impactos sob as atividades socioeconômicas das comunidades tradicionais.
Wellington Santos de Amorim

Última alteração: 08-10-19

Resumo


O complexo do pantanal é considerado uma das maiores planícies alagadas do planeta sendo também patrimônio nacional, reserva da biosfera e patrimônio natural da humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) de forma que seu território compreende uma área de aproximadamente 151.487 km² e está presente no Estado de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e nos países vizinhos Paraguai e Bolívia. Mudanças qualitativas e quantitativas ocorrem neste bioma de características e diversidade ímpares, o que motiva uma investigação mais profunda dos impactos destas transformações socioeconômicas e socioambientais sobre a população tradicional (quilombola, assentada e indígena) que vivem nesta região. Assim, a pergunta central que norteará o presente trabalho é: qual a magnitude do avanço da agricultura com alta intensidade de capital voltado para exportação na região do alto pantanal e seus possíveis impactos sob o comportamento dos agentes econômicos tradicionais que vivem nesta região? O procedimento metodológico adotado para a esta análise é a pesquisa de campo, do tipo quantitativo-descritivo, de forma que a técnica empregada para a coleta de dados será a de aplicação de formulários. Porém, dado as características socioeconômicas e culturais da população alvo, se faz necessário adaptar o formulário a estas particularidades.  O rapid rural appraisal (RRA) é um método direcionado a pesquisa de campo de sistemas agropecuários, sendo flexível e adaptável às diversas realidades. Com isso, o objetivo geral é identificar e caracterizar os pontos de pressão do agronegócio no entorno das aldeias indígenas, propriedades quilombolas, assentamentos agrícolas e pequenas propriedades rurais de subsistência. Os objetivos específicos que visam atingir o objetivo principal são verificar e tipificar áreas de presença agronegócio no entorno das comunidades e aldeias pela presença de lavouras, atividade pecuária, armazéns, unidades de recolhimento de embalagens e outros; analisar e identificar junto com as comunidades, as vulnerabilidades sociais, econômicas e ambientais do território e, por fim, analisar o perfil de produção e consumo de subsistência.

O complexo do pantanal é considerado uma das maiores planícies alagadas do planeta sendo também patrimônio nacional, reserva da biosfera e patrimônio natural da humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) de forma que seu território compreende uma área de aproximadamente 151.487 km² e está presente no Estado de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e nos países vizinhos Paraguai e Bolívia. Mudanças qualitativas e quantitativas vêm ocorrendo neste bioma de características e diversidade impar, o que motiva uma investigação mais profunda sobre os impactos destas transformações socioeconômicas e socioambientais sobre a população tradicional (quilombola, assentada e indígena) que vivem nesta região. Assim, a pergunta central que norteará o presente trabalho é: qual a magnitude do avanço da agricultura com alta intensidade de capital voltado para exportação na região do alto pantanal e seus possíveis impactos sob o comportamento dos agentes econômicos tradicionais que vivem nesta região? O procedimento metodológico adotado para a presente análise é a de pesquisa de campo do tipo quantitativo-descritivo, de forma que a técnica empregada para a coleta de dados será a de aplicação de formulários. Porém, dado as características socioeconômicas e culturais da população alvo da presente análise se faz necessário adaptar o formulário a estas características. O rapid rural appraisal (RRA) é um método direcionado a pesquisa de campo voltada para sistemas agropecuários no qual é flexível e adaptável as diversas realidades. Com isso o objetivo geral é identificar e caracterizar os pontos de pressão do agronegócio no entorno das aldeias indígenas, propriedades quilombolas, assentamentos agrícolas e pequenas propriedades rurais de subsistência. Os objetivos específicos que visam atingir o objetivo principal são verificar e tipificar áreas de presença agronegócio no entorno das comunidades e aldeias pela presença de lavouras, atividade pecuária, armazéns, unidades de recolhimento de embalagens e outros; analisar e identificar junto com as comunidades, as vulnerabilidades sociais, econômicas e ambientais do território e por fim analisar o perfil de produção e consumo de subsistência.


Palavras-chave


Comunidades Tradicionais; Pantanal; Desenvolvimento Endógeno