Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
ANÁLISE DA SENSAÇÃO TÉRMICA E DOS ÍNDICES DE CONFORTO TÉRMICO EM DIFERENTES CONFIGURAÇÕES URBANAS DE CUIABÁ-MT
KARYN FERREIRA ANTUNES RIBEIRO, FLÁVIA MARIA DE MOURA SANTOS

Última alteração: 10-10-19

Resumo


O objetivo deste estudo foi analisar a sensação térmica e os índices de conforto térmico em diferentes configurações urbanas na cidade de Cuiabá-MT. Foi realizado levantamento de dados meteorológicos (temperatura do ar, umidade relativa, direção e velocidade do vento) em três diferentes ambientes: sombreamento arbóreo (C1), sombreamento artificial com guarda-sol (C2) e exposto ao sol (C3). Em conjunto foram realizados questionários com objetivo de verificar a sensação térmica e as características subjetivas dos entrevistados. As respostas da sensação térmica foram divididas em quatro classificações: confortável, um pouco desconfortável, desconfortável e muito desconfortável. Para avaliar os índices de conforto térmico (PET e PMV), foi utilizado o software RayMan com preenchimento de dados meteorológicos e dados pessoais (altura, peso, sexo, idade e vestimenta). Os resultados mostram que no C1, que é arborizado, ocorreram as maiores porcentagens de conforto térmico com 76,6% e 83,8%, nos períodos úmido e seco, respectivamente. No C3 que é exposto ao sol, ocorreram as menores porcentagens de conforto térmico com 5% e 14,6% (períodos úmido e seco), logo sendo o cenário com as maiores porcentagens da classificação “muito desconfortável” com 29,4% e 9,6% (períodos úmido e seco). As menores médias de PMV (0,94) e PET (29,52°C) registradas foram no cenário arborizado e no período seco. E as maiores médias encontradas foram de 4,99 (PMV) e de 40,41°C (PET) no cenário exposto ao sol e no período úmido.  Conclui-se que os índices PMV E PET demonstraram-se eficientes para estimar o conforto térmico, concordando com o comportamento das variáveis microclimáticas aferidas e cabe ressaltar a importância da arborização urbana, com isso este estudo visa corroborar com a importância e a influência do sombreamento arbóreo, que contribuem no conforto térmico e proporciona bem-estar aos pedestres.


Palavras-chave


Arborização urbana; Sombreamento; Dados meteorológicos