Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
SABERES E FAZERES DOS PROFESSORES DA ÁREA DE LINGUAGEM, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS, EM UMA ESCOLA DO QUILOMBO ITAMBÉ/MT
Silvana Alves santos, Suely Dulce Castilho

Última alteração: 01-10-19

Resumo


Resumo: O presente estudo é resultado de uma pesquisa qualitativa com recorte etnográfico, realizada na Escola Estadual Quilombola Reunidas de Cachoeira Rica, localizada no quilombo Itambé/Chapada dos Guimarães-MT. Objetivou-se, nesta pesquisa, analisar e apresentar os saberes que docentes da área de linguagem mobilizam em suas práticas pedagógicas, no contexto da modalidade de educação escolar quilombola. Também teve como propósito descrever o cenário comunitário e a Escola Estadual Quilombola Reunidas de Cachoeira Rica, em seus aspectos históricos, políticos, identitários e culturais, e assinalar como o campo epistemológico e as políticas públicas estão sendo pensados e articulados, tendo como foco a formação continuada de professores para a Educação Escolar Quilombola. A fundamentação teórica basilar está ancorada em Almeida (1996), Arroyo (2007, 2013), Barth (1998), Borges (2001), Castilho (2011), Freire (1987, 1992, 2001), Gauthier (2013), Geertz (1989), Leite (2000), Moreira, Silva (1994) Mclaren (2000), Munanga (2006, 2012), Nóvoa (1992), Nunes ( 1999, 2001), Tardif (2014), Sacristán (2000) e Schulman (2005, 2006). Os instrumentos utilizados para a coleta de dados foram: observação participante, entrevista semiestruturada, história de vida, registro no diário de campo, documentos e fotografias. Os resultados apontam que os saberes dos professores pesquisados são oriundos de diversas fontes, entretanto os saberes experienciais se destacam e se apresentam como eixos estruturadores da ação pedagógica e como elementos que atuam conectados a outros saberes, enriquecendo o trabalho dos professores, e aí convém frisar que mesmo diante de todas as adversidades com que se deparam no ambiente escolar, a exemplo da falta de material adequado, inexistência de recursos didáticos e pedagógicos, eles mobilizam tais saberes para investir na preparação das aulas e na transposição didática dos conteúdos. Entretanto, é imprescindível assinalar que as condições precárias, modestas e insuficientes em termos físicos e estruturais configuram atualmente o grande gargalo para que se oportunize um trabalho com melhor qualidade, bem como atividades mais significativas e alinhadas ao contexto escolar quilombola e às vivências dos estudantes. Outro componente merecedor de atenção, presente nos resultados, aponta para a carência e a necessidade de formação continuada, visto que os temas pertinentes à modalidade educacionais quilombola, ofertada pela escola, não se constituem como eixo norteador do trabalho docente, contrariando assim o que está regulamentado nos documentos oficiais que orientam o fazer pedagógico em escolas quilombolas ou inseridas em território quilombola.


Palavras-chave


Palavras-chave: Educação quilombola. Saberes docentes. Práticas pedagógicas. Formação de professores