Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
CERÂMICAS E INTERAÇÕES CTS: UMA ABORDAGEM EXPERIMENTAL PARA O ENSINO DE QUÍMICA E O ESTUDO DE ZONAS DE SENTIDOS.
MIRELE CRISTINA FURLAN ROCHA, MARIUCE CAMPOS DE MORAES

Última alteração: 17-10-19

Resumo


A experimentação, quando articulada às interações CTS (Ciência, Tecnologia e Sociedade) e ao par experiência e sentido dos sujeitos envolvidos no processo educativo, contribui com a aprendizagem, expressa pela participação ativa do estudante, e com o ensino de conceitos químicos.  Com foco na experimentação por meio da temática da cerâmica, o objetivo desta pesquisa foi compreender as zonas de sentidos dos estudantes e sua implicação no processo de ensino aprendizagem. Para isso, foi construída uma abordagem pedagógica com referencial teórico que reúne conhecimentos sobre eletroquímica, cerâmicas, interações CTS e técnica de eletroforese, pautado, tal referencial, no interacionismo. A pesquisa findou no estudo de caso, realizado com estudantes do ensino médio, na cidade de Cuiabá, no ano de 2019, em uma escola da Rede Estadual de Educação Básica do Estado de Mato Grosso, Brasil. Com base na metodologia qualitativa, foi realizado estudo com 12 sujeitos do 3º ano do Ensino Médio. Na primeira etapa da pesquisa, o acompanhamento do conhecimento prévio dos estudantes facilitou o aprendizado e a zona de desenvolvimento proximal foi trabalhada para que os discentes transitassem entre o senso comum e o científico. Também foram organizados grupos para o desenvolvimento de atividades experimentais e teóricas, em suma, atividades essas viáveis para a transição da zona de desenvolvimento em que eles estavam. Na segunda etapa, os dados foram coletados por meio de questionários abertos, completamento de frases, conversas e observações em sala. Tais recursos foram importantes no delinear de indicadores para compreender as zonas de sentidos dos estudantes participantes da pesquisa e, posteriormente, para elaborar uma análise construtivo-interpretativa. A análise das zonas de sentidos dos estudantes, a partir de suas produções decorrentes de sua participação ativa, levou a diferentes expressões externalizadas, relacionadas a uma dimensão interna, de caráter simbólico-emocional, sobre a relação dos estudantes com as atividades experimentais e teóricas, bem como se mostrou oportuna para o entendimento de aspectos importantes que apontam diversas noções, dentre elas: atenção, segurança, autonomia, preocupação com o meio ambiente e responsabilidade. Percebeu-se ainda que tais noções estavam articuladas a diversos contextos sociais que os discentes vivenciaram, o que favoreceu a formação dos conceitos científicos de pilhas, baterias e eletrólise. Diante do exposto, esta pesquisa soma-se àquelas que defendem a aprendizagem como um processo que se realiza de forma gradual, proximal e interativa, e por zonas de desenvolvimento diferentes.

 


Palavras-chave


CTS, eletroforese, cerâmica