Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
MUDANÇA NA COBERTURA DO SOLO EM MATO GROSSO ENTRE 2000 E 2016
Vagner Marques Pavão

Última alteração: 10-10-19

Resumo


O estado de Mato Grosso é o terceiro maior estado em extensão territorial do Brasil, onde encontram-se três biomas brasileiros. Apesar de ter importância ecológica, o estado tem passado por intensa mudança em sua cobertura do solo nas últimas décadas. Assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar a mudança da cobertura do solo em Mato Grosso entre 2000 e 2016. Nesse estudo foram analisadas áreas de Floresta, Cerrado, Pastagem e Agrícola do produto de Cobertura e Uso da Terra fornecido pelo IBGE (CUT-IBGE). Os dados foram ajustados por meio dos Erros de Comissão e Omissão derivados da matriz de contingência obtida na validação do produto CUT-IBGE em cada um dos anos. O produto CUT-IBGE contempla em seu formato original 13 classes de cobertura. As maiores perdas de cobertura ocorreram nas classes Floresta (-6.2%) e Cerrado (-3.8%) e os maiores ganhos ocorreram nas classes Área Agrícola (5.6%) e Pastagem (4.2%). Em 2016 a classe com maior taxa de cobertura dentro da área de estudo foi a classe Floresta (42%), seguida pela Cerrado (23%) e Pastagem (20%). Entre 2000 e 2016, 63% da área modificada nas classes Floresta e Cerrado foram transformadas em Pastagem e 35% em Área Agrícola. Aproximadamente 91% da área modificada na classe Pastagem foi transformada em Área Agrícola e 64% da área modificada na classe Área Agrícola tornou-se Pastagem. Em termos regionais, a perda de cobertura da Floresta se concentrou majoritariamente nas regiões Norte (72%) e Nordeste (24%). Por outro lado, no Cerrado a perda de cobertura foi distribuída entre as regiões Nordeste (38%), Norte (29%), Sudeste (21%) e Centro Sul (10%). Os maiores avanços da Pastagem e Área Agrícola ocorreram na região Norte (58 e 67%, respectivamente), seguido da região Nordeste (30 e 24%), respectivamente. As menores (>5%) modificações de cobertura das classes Floresta, Pastagem e Área Agrícola ocorreram nas regiões Centro Sul e Sudeste. As mudanças de cobertura natural por Pastagem e Área Agrícola estão diretamente relacionadas ao perfil agropecuário regional. Nesta região, as técnicas de correção dos solos, em especial a calagem, associadas às condições topográficas dos planaltos favoráveis a mecanização e planícies com pastagens naturais, contribui significativamente para o desenvolvimento da agropecuária no estado.



Palavras-chave


Desmatamento, Agronegócio, Fronteira Agropecuária.