Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
COLAPSOS CLIMÁTICOS E MIGRAÇÃO: resistências políticas e educacionais
Déborah Luíza Moreira Santana Santos

Última alteração: 01-10-19

Resumo


As crises climáticas causadas pela ação antrópica é uma grande ameaça à todas as formas de vida. Sentida com mais intensidade nas últimas décadas, intensificam as mudanças nos regimes climáticos, as secas prolongadas, as tempestades, as cheias atípicas, os tsunamis, e os terremotos, entre outros desastres. Estas consequências ambientais que têm aumentado a desigualdade social, cravando a injustiça climática como um dos maiores desafios da humanidade. Os migrantes climáticos são os grupos mais expostos para lidar com os efeitos adversos desse colapso do clima. O objetivo da presente pesquisa é investigar as reflexões sobre a condição de migrantes em decorrência do colapso climático, bem como apontar caminhos para construção de políticas públicas que favoreçam a compreensão sobre o fenômeno migratório referente à pauta climática. Os parceiros da Pesquisa serão venezuelanos/as que residem em Cuiabá que tenha passado pela Pastoral do Migrante. A metodologia usada estará centrada na cartografia do imaginário em diálogo com Bachelard, por meio de entrevistas.



Palavras-chave


Educação Ambiental. Injustiça climática. Migração. Venezuela. América Latina.