Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Influência do risco nutricional e de sarcopenia na readmissão hospitalar de pacientes cirúrgicos oncológicos
Thayse Emanuelli Godoy Behne

Última alteração: 09-10-19

Resumo


Introdução: A readmissão hospitalar de pacientes submetidos a cirurgias de médio e grande porte é um evento comum. As causas são diversas, porém o estado nutricional e funcional do indivíduo pode ser fator determinante neste contexto.

Objetivo: Avaliar se existe associação entre o risco de sarcopenia com a taxa de reinternação em pacientes cirúrgicos oncológicos.

Método: Estudo de coorte prospectiva realizado com 187 pacientes oncológicos adultos candidatos a cirurgias de médio e grande porte no período de junho de 2018 a janeiro de 2019. As variáveis principais de resultado foram: a taxa de reinternação hospitalar em 30 dias, o risco de sarcopenia (avaliado através do questionário SARC-F) e o risco nutricional (avaliado pela NRS-2002 - Nutritional Risk Screening-2002). Investigou-se também a característica da amostra, o estado nutricional dos pacientes através da ASG (Avaliação Subjetiva Global), o tempo de internação (dias), e a taxa de óbito. Posteriormente estudou-se a associação da reinternação com o risco de sarcopenia e com o estado nutricional.

Resultados: A idade média dos pacientes estudados foi de 57,4 ± 14,5 anos, sendo 51,9% (n=97) do sexo masculino. Destes, 89,4% (n=127) apresentaram escore ASA (American Society of Anesthesiologists) I e II. A média do IMC foi de 27 ± 6,3 Kg/m2, sendo que de acordo com a ASG, 56,1% (n=105) estavam eutróficos (ASG A), 30,5% (n=57) encontravam-se em risco nutricional ou desnutrido moderado (ASG B) e 13,4% (n=25) apresentavam desnutrição grave (ASG C). O tempo médio de internação foi de 5,1 ± 6,7 dias e 7,5% (n=14) dos pacientes estudados foram a óbito. A taxa de reinternação observada nos pacientes foi de 8,6% (n=16). Os resultados mostraram que 55,1% (n=103) dos pacientes estavam em risco nutricional e 19,3% (n=36) pacientes encontravam-se em risco de sarcopenia. Observou-se uma tendência entre os pacientes que reinternaram a apresentarem risco de sarcopenia (p=0,053; SARC-F ≥4), entretanto quando foi utilizado o ponto de corte para o SARC-F ≥5 pontos, essa associação foi significativa (20,5% vs 6,7%; RR 3,1 IC 95% 1,17-8,11; p=0,021). Não houve associação da reinternação com risco nutricional avaliado pela NRS-2002 (p=0,922) e com a presença de desnutrição estudada pela ASG (p=0,116).

Conclusão: Os dados permitem concluir que pacientes cirúrgicos oncológicos avaliados como em risco de sarcopenia (escore ≥5) pelo questionário SARC-F foram aqueles que apresentaram maior risco de reinternação.