Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
HISTÓRIAS DE JUDAÍSMOS: IDENTIDADE E MEMÓRIA, CONFLITOS E TROCAS CULTURAIS EM COMUNIDADES JUDAICAS DO SÉCULO XII NOS ESCRITOS DE MAIMÔNIDES (1135-1204) E BENJAMIM DE TUDELA (1130-1173)
Rafaela Gonçalves Costa Marques

Última alteração: 07-10-19

Resumo


Ao longo dos séculos, foi construída uma história judaica marcadamente homogênea. E esta está intrinsicamente relacionada com os nacionalismos exacerbados do século XIX e início do XX. Devido a esse contexto conturbado na Europa e principalmente ao acirramento do antissemitismo no mesmo período, os judeus desenvolveram uma história de laivos nacionalistas para justificar o estabelecimento de um Estado para eles, assim como o próprio movimento sionista que foi uma reação às conjunturas social e política de então. A partir dessas premissas, olharemos para o passado judaico, em especial o século XII no Norte da África e Península Ibérica, com o intuito de compreender as histórias de comunidades judaicas medievais. Nos contatos iniciais com a documentação, é possível perceber quão diversas elas eram e os judaísmos por elas praticados. Assim, a realidade histórica nos mostra conflitos, mas também trocas culturais no seio dessas sociedades nas quais os judeus estavam inseridos. Sendo assim, a abordagem da História Global permite entender os intercâmbios culturais no interior das comunidades judaicas. Como resultado dessas conjunturas plurais, Maimônides (judeu e filósofo) e Benjamim de Tudela (judeu e mercador) ambos nascidos no século XII, com suas obras, a primeira de cunho filosófico e a segunda um relato de viagem, nos aparecem como testemunhos das tensões e trocas culturais possibilitadas mediante aos enredamentos as quais os judeus estavam envolvidos. Tudo isso nos faz questionar a história judaica construída a partir de referenciais exclusivamente lineares e homogêneos.

 

Palavras-chave

Identidade, Judaísmos, conflitos e trocas culturais.