Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
POTENCIAL DE PRODUÇÃO DE ETANOL A PARTIR DA HIDRÓLISE ENZIMÁTICA DO ARROZ EM CASCA
Camila da Silva Turini

Última alteração: 09-10-19

Resumo


Os biocombustíveis apresentaram-se, nas últimas décadas, como umas das alternativas para garantir o desenvolvimento sustentável em muitos países, tornando-se, em muitos casos, um substituto técnica e economicamente viável ao uso de combustíveis de origem fóssil, como é o caso do etanol. Atualmente, o etanol é produzido a partir de materiais açucarados ou amiláceos produzidos para este fim, porém, o aproveitamento de resíduos agroindustriais pode abrir uma janela de oportunidades para o aumento no volume de combustível produzido no Brasil. O arroz é um dos produtos agrícolas de grande destaque na cadeia de produção de alimentos em todo o mundo, sendo o Brasil o nono maior produtor mundial. Durante a produção e o beneficiamento do arroz, são gerados grandes volumes de resíduos, como: a casca, o arroz quebrado, o farelo, bem como o arroz em casca de baixa qualidade devido ao armazenamento inadequado. Assim, o objetivo deste trabalho foi analisar o potencial da produção de etanol a partir da hidrólise enzimática do arroz em casca. As amostras de arroz em casca foram levadas para secagem completa em estufa de ventilação forçada a 60oC e, posteriormente, moídas em moinhos de facas com peneira de 1 mm de diâmetro. Foram realizadas as análises químico-bromatológicas, determinando: teor de água, cinzas, proteína bruta, lipídeos, fibras e carboidratos totais. A sacarificação da amostra foi realizada utilizando as enzimas celulase, amiloglucosidade e alfa-amilase. Após a hidrólise adicionou NaOH 0,05 M (1:1) para inativação da enzima e em seguida o hidrolisado foi centrifugado a 3600 rpm por 10 min para determinação de açúcares redutores no sobrenadante pelo método de DNS. Os resultados indicaram que o material é composto por 7,40 % de umidade, 3,14 % de cinzas, 7,18 % de proteínas, 6,56 % de lipídios, 23,39 % de fibras e 52,33 % de carboidratos totais. A concentração de açúcar redutor após a hidrólise enzimática foi de 52,23g.100g-1 de amostra seca. A enzima celulase age na celulose e as enzimas alfa-amilase e amiloglucosidade no amido (amilose e amilopectina). Considerando que a conversão teórica de glicose em etanol é de 0,511 g de etanol por grama de açúcar redutor, conclui-se que a partir do arroz com casca, tem-se o potencial de produzir aproximadamente de 26,69g de etanol para cada 100g de arroz em casca.


Palavras-chave


Arroz, etano, resíduos.