Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Avaliação de vazões a montante de uma usina hidrelétrica na Amazônia
JULIANA MARESTONI SIMÕES, Eduardo Morgan Uliana, Frederico Terra Almeida

Última alteração: 09-10-19

Resumo


As barragens hidrelétricas constituem hoje, o principal suprimento da demanda energética do Brasil. Embora seja uma fonte natural, para sua construção é necessário o represamento de água de um rio, que implica no decréscimo da velocidade da água, e consequente retenção do material particulado, processo conhecido por assoreamento.  Em consequência disso, muitas barragens têm sua funcionalidade comprometida, pois diminui o volume de água utilizável e reduz a quantidade de energia gerada. Dadas as circunstâncias, é necessário acompanhar as variações, de níveis e vazões, de modo que se permita garantir a manutenção do empreendimento. Desse modo, este trabalho tem objetivo de avaliar as vazões líquida e sólida a montante da do reservatório da UHE Sinop com vistas ao gerenciamento dos recursos hídricos. Os dados utilizados fazem parte do Programa de Monitoramento Hidrológico e Hidrossedimentológico da UHE Sinop, que vem sendo realizado desde o ano de 2015. Os trabalhos de campo foram desenvolvidos em 02 (duas) estações, localizadas no rio Teles Pires e rio Verde, seu principal tributário. Para composição deste trabalho foram utilizadas 15 campanhas de medições, no período compreendido entre dezembro de 2015 a junho de 2019. As campanhas foram correspondentes às medições de vazão e coletas de amostras de água com sedimentos em suspensão e fundo, durante o período de estiagem e o período chuvoso, com frequência trimestral. As medições de descarga líquida foram realizadas através de medidor de vazão acústico Doppler (Perfil Acústico Doppler-ADCP) - M9. Em se tratando das medições de vazão sólida, a amostragem em suspensão foi realizada pelo método igual incremento de largura (IIL), utilizando o amostrador DH59, em 10 verticais e para amostragem de fundo foi utilizado o coletor de material AMF – 2 rock island. As análises laboratoriais para a determinação da concentração, de sedimentos em suspensão, foram feitas seguindo a metodologia por filtragem. Para a identificação do tamanho das partículas ou grãos foi realizada à análise granulométrica, seguindo a metodologia de peneiramento. O cálculo de descarga sólida foi realizado baseado no método de Einstein modificado. Para o primeiro ano, na estação Montante 1, a descarga sólida total (Qst) foi de 663,57 t.dia-1 e a vazão líquida (Qlíq) correspondente a 214,17 m³.s-1. Já no ano de 2016, corresponde a um volume de Qst = 1059,90 t.dia-1 e a Qlíq = 264,84 m³.s-1. Para o ano de 2017, foi obtido Qst = 2076,99 t.dia-1 e Qlíq correspondente a 389,90  m³.s-1. Em 2018, o volume de Qst = 1631,27 t.dia-1 ,  e a média Qlíq = 325,53 m³.s-1. Embora as coletas para 2019 não tenham sido concluídas até o momento tem-se os seguintes dados, Qst = 2841,52 t.dia-1, e Qlíq = 559,83  m³.s-1. Para a estação Montante do Rio Verde, as médias de vazão líquida obtidas são: 2015 = 156,17 m³.s-1 , 2016 =  188,26 m³.s-1 , 2017 = 198,90 m³.s-1 , 2018 = 287,84 m³.s-1 e 2019 = 378,42 m³.s-1 . Os dados obtidos serão analisados para o devido gerenciamento dos recursos hídricos do reservatório da UHE Sinop.


Palavras-chave


Assoreamento, hidrossedimentação, reservatórios artificiais.