Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
RADIOATIVIDADE: O PROCESSO TRANSITÓRIO DO MEDO À IDEIA DE CURA PELAS AREIAS MONAZÍTICAS
MARINA MEIRA COELHO

Última alteração: 16-10-19

Resumo


O objetivo deste trabalho é discutir a transformação cultural a partir da ideia do medo e cura das areias monazíticas em Guarapari, no Espírito Santo, areias que são ricas em minerais radioativos, que, dependendo da forma que forem manipulados, oferecem risco ou cura. O campo de estudo será o litoral capixaba, especificamente as praias de areia monazítica da cidade de Guarapari-Es. As areias ricas em elementos radioativos foram e são temas de análises de várias ciências. Alguns pesquisam aplicabilidades, outro uso industrial. Nesta pesquisa, propusemos a análise contemporânea a partir das transformações culturais estabelecidas pelo medo e pela cura presente no cotidiano de moradores e transeuntes que frequentam a praia, e, ou, turistas que ficam sabendo da possibilidade de cura e buscam alívio para seus males. Será que existe na areia esta possibilidade de cura? ou é apenas é uma crença? qual a relação da radioatividade com a vida dos moradores, desperta medo? as areias ricas em elementos radioativos causaram ou causa transformações culturais? Nesse contexto, o trabalho baseia-se em estudos metodológicos qualitativos, a partir da análise de livros, artigos acadêmicos, revistas e documentários que possuem correlação com a temática ‘Radioatividade: o processo transitório do medo à ideia de cura pelas areias monazíticas’. Isso porque nossos estudos apontam para o indicativo de que, a partir desse elemento mineral, com alto grau de radioatividade, podemos gerar alterações em vários níveis, tanto cultural, social, ambiental e físico, cumprindo ainda destacar que a radioatividade é parte dos elementos que compõem o planeta. Assim, a possível ideia de cura surge pelo contato e já se encontra expressa em vários relatos, artigos científicos, teses e histórias de moradores da região.