Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Efeito da ingestão dos ergogênicos arginina, creatina e Suplemento Pré-Treino Múltiplos Ingredientes no metabolismo e desempenho físico de mulheres obesas sedentárias
Camila Pasa, Carlos Alexandre Fett, Waléria Fett, Karla Régia, Camila Banhara

Última alteração: 09-10-19

Resumo


Segundo a Organização Mundial da Saúde, estima-se que em 2025, tenhamos 2,3 bilhões de indivíduos com sobrepeso, sendo, 700 milhões de obesos. No Brasil, o excesso de peso cresceu 26,3% nos últimos 10 anos, ultrapassando os 50% em homens e mulheres, enquanto a obesidade cresceu 60% no mesmo período. Segundo pesquisas, Cuiabá apresentou 56,4% de adultos com excesso de peso (Índice de Massa Corporal – IMC ≥ 25 kg/m2), e 21,9% com obesidade (IMC ≥ 40 kg/m2), sendo 20,9% das mulheres cuiabanas consideradas obesas. A obesidade nas mulheres apresenta particularidades, principalmente, no que se refere à reprodução. Essa morbidade contribui para alterações no ciclo reprodutivo, redução da fertilidade, aumento do risco de síndrome dos ovários policísticos e ovulação infrequente ou ausente, além de tender a aumentar a resistência à insulina e ao desenvolvimento de diabetes mellitus tipo 2. A prática de exercício é fundamental tanto na prevenção de doenças crônicas não transmissíveis, quanto no tratamento da obesidade. Outro aspecto importante da obesidade está associado à mudança nos hábitos alimentares, porém dependendo do metabolismo do indivíduo, há casos em que a reeducação alimentar precisa ser acompanhada de suplementação de ergogênicos. Assim, o presente estudo tem por objetivo analisar o efeito da ingestão dos ergogênicos L-arginina, creatina e Suplemento Pré-Treino Múltiplos Ingredientes (MIPS) no metabolismo e desempenho físico de mulheres obesas sedentárias treinadas com treinamento resistido. Trata-se de um estudo, duplo-cego, randomizado, com grupo de mulheres obesas e sedentárias realizando  intervenção com treinamento resistido e ergogênicos, aprovado no comitê de ética sob o número 332018A/CEP/HUJM/09 em 15/06/2018 e REBEC -9832jt, conduzido pelo Núcleo de Estudos em Aptidão Física, Informática, Metabolismo, Esportes e Saúde, da Faculdade de Educação Física, da Universidade Federal de Mato Grosso em parceria com o Hospital Universitário Júlio Müller e o Instituto Tropical de Medicina Reprodutiva e Menopausa, localizados no município de Cuiabá, Mato Grosso. Serão estudadas mulheres de 20 a 40 anos de idade, em momento agudo onde serão suplementadas com L-arginina, creatina (80 mg.kg-1/d), MIPS (conforme fabricante), ou placebo (maltodextrina) em um sistema de crossover duplo cego em que metade suplementa com um dos ergogênicos e metade recebe placebo invertendo a oferta com 72 h de intervalo, seguido de uma fase crônica com treinamento resistido e mais a suplementação ou placebo. Elas serão avaliadas pré e pós cada fase quanto ao desempenho físico (testes de força e resistência muscular), bioquímica sanguínea (lipidograma, hemograma, marcadores inflamatórios e reguladores ponderais), estado de humor, e composição corporal. Serão feitos testes de associação (Pearson ou Spearman), análise de variância para medidas não repetidas (ANOVA) ou o método de Friedman (pós-teste de Dunn) e clusterwise nas regressões multivariadas; O teste de qui quadrado e razão de chance (odds ratio) para comparar os suplementos entre si e o placebo (p≤0,05).

Palavras-chave


Suplemento nutricional; Atividade Física; Doenças Crônicas Não-Transmissíveis.