Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Omissão do café da manhã e obesidade em adolescentes
Marielly Rodrigues de Souza, Paulo Rogério Melo Rodrigues

Última alteração: 30-09-19

Resumo


A obesidade na adolescência é um importante problema de saúde pública, sendo que entre 1980 e 2013 a prevalência de sobrepeso e obesidade, em meninos e meninas, aumentou cerca de 30% em países desenvolvidos e 60% em países em desenvolvimento. A adolescência tem sido um período associado a hábitos alimentares não saudáveis que tendem a persistir até a idade adulta. Entre esses hábitos, encontra-se a omissão do café da manhã, que é considerada um fator de risco para o ganho de peso e está associada a alterações nos indicadores de composição corporal, como aumento do índice de massa corporal. A omissão dessa refeição tem aumentado entre os adolescentes, com prevalências entre 16% e 51% em adolescentes brasileiros. Este estudo teve como objetivo revisar sistematicamente a associação entre omissão do café da manhã e obesidade em adolescentes. Trata-se de uma revisão sistemática da literatura realizada em agosto de 2019, que visa responder à pergunta: “A omissão do café da manhã está associada à obesidade em adolescentes?” A busca dos registros foi realizada de forma independente por dois pesquisadores, nas seguintes bases de dados: MEDLINE via PubMed, Web of Science (WoS), Scopus, Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) e SciELO. Nenhuma restrição de país foi estabelecida. Foram incluídos estudos observacionais (transversais e longitudinais), publicados entre 2008 e 2019 em inglês, espanhol ou português, realizados com adolescentes e que tenham estimado a associação da omissão do café da manhã com a obesidade. Para avaliar o risco de viés e precisão dos estudos, utilizou-se o Banco de Itens do Research Triangle Institute. Foram incluídos nessa revisão sistemática quarenta e um artigos. Desses, vinte e três apresentaram baixo risco de viés. A associação entre omissão do café da manhã e sobrepeso e/ou obesidade foi encontrada em trinta e quatro artigos (83,0%), sendo que, quatro eram do tipo longitudinal. Vinte e cinco estudos, fizeram análise ajustada para potenciais fatores de confusão, sendo os principais: idade, sexo, raça/etnia, nível socioeconômico, consumo energético total, estágio puberal e atividade física. Dezenove artigos utilizaram a frequência de consumo do café da manhã (“raramente”, “nunca” e número de dias/semana), em sete artigos o consumo do café da manhã foi categorizado como sim/não, regular/não regular, presença/ausência e ausência de citação de alimentos consumidos no recordatório de 24 horas e em outros oito estudos a frequência de omissão do café da manhã foi definida nas seguintes categorias: “às vezes ou sempre vs. raramente”, sim/não e 0 a 7 dias/semana. Omitir o café da manhã foi associado a obesidade em adolescentes, no entanto, ressalta-se a importância da padronização da definição de omissão dessa refeição para melhor utiliza-la como fator de exposição.

Palavras-chave


Omissão; Café da Manhã; Obesidade; Adolescente