Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
O CORPO NA PEDAGOGIA WALDORF: ENTRE PENSAR SENTIR E AGIR
ELIANE SOUZA OLIVEIRA DOS SANTOS, Cleomar Ferreira Gomes

Última alteração: 01-10-19

Resumo


Esta é uma pesquisa de doutorado em andamento no programa de Pós-Graduação em Educação, linha de Pesquisa Culturas Escolares e Linguagens, da Universidade Federal de Mato Grosso. O objetivo é investigar o corpo no pensar, no sentir e no agir dos estudantes dos anos finais do Ensino Fundamental em uma escola que adota a Pedagogia Waldorf. As questões iniciais que orientaram o estudo foram: Quais e como são essas práticas escolares? Quais são os ritos, os espaços e tempos vividos? Qual o lugar que o corpo ocupa nessa pedagogia? Quais são os fundamentos e as práticas pedagógicas adotadas? Quais sentidos e significados os estudantes e os professores atribuem ao corpo? Como ponto de partida teórico e construção das bases epistemológicas recorremos a obras referentes a Antroposofia, as de Rudolf Steiner e as de Rudolf Lanz. O envolvimento dos pesquisadores com o cotidiano e os ritos escolares, o conhecimento das práticas educativas nesses espaços e tempos e a compreensão dos pilares que alicerçam a Pedagogia Waldorf poderá contribuir para as discussões sobre o corpo como linguagem educativa para pensar, sentir e agir do estudante, em uma escola que adota esta metodologia. As primeiras e principais interlocuções sobre o corpo serão ancoradas em David Le Breton, importante sociólogo francês que estuda o corpo, mediante publicações traduzidas para o português que tratam sobre o assunto: A sociologia do Corpo, Adeus ao corpo: antropologia e sociedade, Antropologia do Corpo e modernidade, Antropologia dos Sentidos, As paixões ordinárias: antropologia das emoções, Do Silêncio, Uma breve história da adolescência. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa – Humanidades-UFMT e está registrado na Plataforma Brasil. De natureza qualitativa, fenomenológica, descritiva e de cunho etnográfico, encontra-se na fase de coleta de dados empíricos em uma escola de Ensino Fundamental, localizada em Cuiabá-MT, que adota a Pedagogia Waldorf, a escolha foi intencional. Os responsáveis, os professores e os estudantes do 9º ano assinaram Termos de Consentimento ou de Assentimento. Nesta etapa da pesquisa ocorrem as observações livres e anotações em diário de campo, gravação de áudios e captação de imagens fotográficas, na referida turma. Estágio no qual os registros acontecem diariamente, de segunda a sexta feira e referem-se a falas, diálogos, expressões faciais, movimentos corporais, gestos, atitudes, ações, posturas e aparência física, modos de vestir, grau de proximidade entre os estudantes e deles com os professores; estímulos, permissões e impedimentos corporais, as formas de saudação e cumprimentos e o contato físico. Observa-se e descreve-se tanto o comportamento dos participantes (estudantes e professores) quanto os da pesquisadora. Ademais, transcorrem neste período a reconstrução/descrição do meio físico da escola (salas de aula, pátio, refeitório, quadra, áreas livres e área do portão da escola), das práticas curriculares, dos eventos especiais e dos trabalhos produzidos. Está em percurso a coleta de autorização (Termos) junto aos participantes do 6º ao 8º ano. Este processo aponta para a possibilidade de aumento no número de participantes da pesquisa, visto a quantidade de alunos que ingressaram na escola nos anos iniciais.

Palavras-chave


Corpo; Pedagogia Waldorf; Ensino Fundamental.