Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Trajetória política de José Fragelli (1947-1987)
Vinicius de Carvalho Araújo

Última alteração: 07-10-19

Resumo


A figura de José Fragelli é como peça importante para a melhor compreensão das relações de poder no campo político matogrossense neste período. Sua trajetória política nos permite refletir sobre a natureza da política e dos regimes democráticos contemporâneos, opostos àqueles mais oligárquicos ou aristocráticos de outrora e pode ser utilizada como instrumento de compreensão da lógica e da dinâmica do campo político mato-grossense neste período selecionado.

Rosanvallon (2010) avançou nesta compreensão de pluridisciplinaridade para a história política e formulou a noção de história conceitual do político. Ela seria uma área interdisciplinar, situada entre a história social, a sociologia política, a teoria política, e a história das ideias, articulando os conceitos de todas elas em busca da melhor compreensão de questões contemporâneas. O autor enfatizou ainda enfatizou o caráter presente da história, a exemplo de outros autores da historiografia. Quer dizer, toda e qualquer reflexão baseia-se em situações contemporâneas relativas à consolidação da democracia, que é permeada por algumas tensões e equívocos como em relação ao seu sujeito, à disputa entre ciência e opinião e também entre liberdade e poder. Seria pensar a democracia seguindo o fio de sua história.

Para Bourdieu (1989), as interações humanas são melhores compreendidas na forma de campo. Espaços de convívio, como o social, o religioso, o intelectual, o burocrático e o político, podem ser visualizados não de modo topográfico ou geográfico, mas sim relacional. Seriam compostos por um conjunto de relações entre agentes e instituições, gerando a estrutura de um determinado setor da sociedade. Portanto, para compreender o funcionamento de um campo específico é imperativo mapear as posições ocupadas por aqueles que produzem, utilizam e reproduzem um determinado habitus, e suas relações entre si.

Os resultados da pesquisa até o presente momento consistem na reunião da documentação dos vários tipos apontados a seguir. Os dados primários e secundários vêm sendo coletados com recurso a vários instrumentos. Dentre eles destaca-se a análise de documentos como:

 

1 - Correspondência pessoal, partidária e governamental;

2 – Documentação da Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso, organizada pelo seu Instituto Memória;

3 – Documentação da Câmara dos Deputados;

4 – Documentação do Senado Federal;

5 – Documentação do Poder Executivo Estadual (atos administrativos);

5 – Depoimentos;

6 – Bibliográficas;

7 – Artigos, monografias, teses e dissertações;

8 – Jornalísticas;

9 – Fotográficas;

10 – Audiovisuais;

11 – Documentação dos processos judiciais;

12 – Documentação ligada ao ambiente intelectual e político do curso de Direito da Universidade de São Paulo na década de 1930; e

13 – Arquivos do Exército e Força Aérea.

 

As fontes bibliográficas estão praticamente todas coletadas. Faltam alguns depoimentos, fontes jornalísticas e documentais, com destaque para o arquivo pessoal do personagem. O próximo passo será definir com clareza o modelo teórico baseado nos principais autores apontados. Além disto, a pesquisa precisará fazer suas opções sobre conceitos centrais para analisar a trajetória de José Fragelli e a evolução do campo político de Mato Grosso. Aqui entra o autoritarismo instrumental bem trabalhado por Santos citado por Gentile (2014), coronelismo, oligarquias, populismo, dentre outros.


Palavras-chave


Elites políticas; Mato Grosso; Eleições; Partidos