Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Orientações Climáticas e o Planejamento Urbano
Diana Carolina Jesus De Paula

Última alteração: 10-10-19

Resumo


Estudos climáticos considerando as cidades, foram inseridos no relatório do Painel Intergovernamental em Mudanças climáticas em 2014, evidenciando que a grande parte da população afetada por eventos climáticos extremos está nos centros urbanos.  Anomalias térmicas são a principal manifestação do clima urbano e é considerada um dos maiores desafios ambientais do século XXI. Estudos destacam a utilização de orientações climáticas voltadas para o ordenamento territorial, como um desafio para os urbanistas e gestores. Desta maneira, o objetivo deste artigo foi relacionar o comportamento da ilha de calor urbana (ICU) nos anos de 2011-2012 e 2016, com os parâmetros urbanos e índices urbanísticos de Cuiabá/MT, de forma a corroborar com os estudos na área de climatologia para cidades de porte médio além de servir de auxílio na tomada de decisão para o planejamento urbano. Para determinar a ICU, utilizou-se a técnica de transecto móvel noturno para a coleta dos dados de temperatura do ar e umidade relativa do ar, percorrendo 91 pontos dentro do perímetro urbano da cidade de Cuiabá/MT. Os resultados obtidos foram satisfatórios, pois foi observado que em ambos os anos a estação com maior quantidade de pontos com ICU moderada foi o inverno, sendo em 2011 com 30% passando para 77% em 2016. Na análise dos parâmetros urbanos entre os anos, observa-se aumento no coeficiente de ocupação e solo impermeável e diminuição no coeficiente de vegetação urbana e solo impermeável. Nota-se que a Ilha de calor moderada e forte é observada quando a média do coeficiente de ocupação e de vegetação urbana é 0,30, o coeficiente do solo permeável 0,45 e impermeável entre 0,65. Entende-se que existe uma maior relação do coeficiente de vegetação urbana e solo impermeável com a evolução da ilha de calor intraurbana. Quanto aos índices urbanísticos, a Lei complementar de uso e ocupação do solo urbano de Cuiabá (LCUOSU 389/2015) com os parâmetros urbanos, aponta-se que em 2011-2012, verifica-se que em 89% dos pontos os valores estão dentro dos limites exigidos, tanto para coeficente de permeabiliade quanto para coeficiente de ocupação do solo. Já em 2016, diminuiu para 77%, apesar de a maioria dos pontos estarem dentro dos limites de referência da legislação municipal durante o período de estudo, observa-se que houve aumento de pontos fora dos limites exigidos. Vale salientar, que nos pontos que um dos indices não foram respeitados, houve diminuição de cobertura permeavel, principalmente de elementos arbóreos, com consequente elevação de cobertura impermeavel, com valores acentuados. O tipo de solo da região, com baixa permeabilidade, corrobora na manutenção da elevação da temperatura do ar, o que salienta a importância de elementos arbóreos que além de reduzirem a radiação solar direta sobre o solo, auxilia na elevação da umidade relativa do ar devido a evapotranspiração.


Palavras-chave


climatologia urbana, parâmetros urbanos, índices urbanísticos