Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Tekoha: Lugar de memória e vida
RAUL CLAUDIO LIMA FALCÃO

Última alteração: 07-10-19

Resumo


As definições acadêmicas que atribuem significado e sentido ao espaço geográfico que é habitado pelos Kaiowa, residentes no município de Dourados, Mato Grosso do Sul, assim como em outras cidades do estado, é denominado, como sendo o seu tekoha. A palavra possui acepções múltiplas que ultrapassam conceitos que vão muito além da nossa compreensão e condição muito mais ampla do que nossa consciência pode alcançar e de que nossas palavras possam tentar explicar, pois, para os kaiowa, o território onde habitam, faz parte de sua cosmologia conectada ao sagrado, lugar onde residem as divindades e que faz parte de seu corpo e sua alma. Na perspectiva histórica, o tekoha é um lugar privilegiado, de uma memória dinâmica, que rememora as tradições, costumes e enlaces sociais de um povo de outrora, interagindo, mediante rituais e manifestações culturais diversas, com o de hoje. Sua constituição é delimitada conforme as condições sejam favoráveis; na atualidade, os indígenas sobrevivem em ambientes não condizentes com sua cultura e seu modo de ser e viver, tentando com todas as suas forças, resistir às adversidades provocas pela sociedade não indígena. Os diversos arranjos sociais constituintes desse espaço territorial, de ordem individual ou coletiva, também fazem parte desse rico sistema de cooperação ativa, e que, é parte integrante de uma extensa rede, composta por vários tekoha conectados, que juntos formam um tekoha guassu (grande território), que pulsa como um corpo vivo: se habitantes de um tekoha estão passando por algum tipo de dificuldade, os outros tekoha sentem que algo não está em perfeita harmonia e logo percebem que existem famílias precisando de sua ajuda. A economia da reciprocidade efetiva o modo se viver em comunidade, na qual, os Kaiowa vivem com excelência. Apesar de homem e mulher Kaiowa serem complementares em sua constituição familiar, a presença feminina é percebida como essencial a funcionabilidade do ambiente em que convivem; ela é responsável em manter a harmonia do seu tekoha, interna e exteriormente, administrando a vida conjugal e matrilocal com suas rezas, ações sociais e políticas, técnicas minuciosas e precisas de dialogar com sua parentela, em busca de coabitar com os seus em um tekoha – hã (terra futura). A condição de existência do tekoha concretiza o sentimento dos Kaiowa em resistir sempre e não deixar morrer o que para eles condiz em um bem precioso e que conecta sua ação a prática: a sua palavra que caminha no tekoha.

Palavras-chave


Tekoha; Kaiowa; Resistência; Cosmologia; Memória