Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
CASA DO ARTESÃO: LUGAR DE CONSTITUIÇÃO DE UM PROJETO E DISCURSO GOVERNAMENTAL DE APOIO À CULTURA POPULAR E SUA MERCANTILIZAÇÃO (1975-2017)
Anderson Pinheiro Torres

Última alteração: 07-10-19

Resumo


Resumo: A Casa do Artesão é um admirável prédio que chama a atenção de quem passa no trajeto para o bairro do Porto. A pouco tempo, a Casa do Artesão que estava desde 2004, sob a administração do Serviço Social do Comércio (SESC), com o objetivo de promover a cultura regional, sendo, sem dúvida, um importante espaço para a salvaguarda do patrimônio cultural material e imaterial, encerrou suas atividades como tal em 2019, tendo fechado as portas do prédio que a abrigou durante 43 anos em meados de 2018, sendo transformada em uma loja de artesanato, incorporada a unidade do Sesc Arsenal. Deste modo, pretendemos analisar essas transformações sofridas ao longo do tempo, e de como patrimônio, bem como suas políticas de preservação, são submetidas as demandas do mercado e de modelo de turismo predatório, cada vez mais presente, principalmente em grandes capitais. Além disso, procuramos discutir ao longo do tempo a apropriação de determinados elementos que passam a construir uma nova identidade, bem como, as transformações sofridas no espaço, o que por sua vez nos remete a uma reinvenção do próprio espaço e até de uma perda de identidade. Destacamos ainda, a discussão do patrimônio material e imaterial, não somente para falar do prédio, mas também de todo patrimônio tangível e intangível em suas mais variadas formas do qual o espaço abriga, levando em consideração as características de uma cultura singular e ao mesmo tempo plural, pois a mesma foi construída a partir da agremiação e da influência de elementos de culturas até então distintas, como é o caso da africana, europeia e também dos povos nativos, compostos das mais variadas etnias com costumes e práticas únicas.

 

Palavras-chave: Casa do Artesão – Patrimônio – Memória.