Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
O ensino híbrido em cursos de licenciatura da UFMT: práticas pedagógicas em questão
Mirtes Dâmares Santos de Almeida

Última alteração: 01-10-19

Resumo


As Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) vêm sendo utilizadas em muitas atividades e em muitas áreas do conhecimento humano, não menos no meio educacional. Essa adoção traz novas perspectivas de trabalho, propicia outros ambientes de aprendizagem e permite a alternância das atribuições de professor e aluno como coprotagonistas e contribuintes da ação cognitiva. Nesse contexto, emergem novos perfis desses atores do processo educativo (professor e aluno), novas práticas pedagógicas, cujos fundamentos se associam àquilo que chamamos de “cultura digital”, e outras e diferentes “modalidades” de ensino integradoras das TIC. Quanto a isso, tem-se, amparada pelo Decreto nº 9.057/17, a Educação a Distância (EaD) e a modalidade semipresencial (ou híbrida), primeiramente proposta pela Portaria MEC nº 4.059/04, que autorizou às Instituições de Ensino Superior (IES) ofertarem até 20% da carga horária total dos cursos de graduação com a mediação de recursos didáticos que utilizassem tecnologias de comunicação. Mas, ainda que tenha sido revogada pela Portaria MEC nº 1.428/18, acredita-se que aquela regulamentação de 2004 foi um marco no sentido de possibilitar experimentações de outras metodologias para as práticas pedagógicas no âmbito da formação inicial. Assim, entendendo que esse documento foi oportuno na adoção de tecnologias, faz-se necessária uma reflexão sobre o modo como os docentes têm se apropriado das TIC para aprimorar o ensino presencial em seus cursos; além do que cabe refletir sobre a maneira como os discentes têm se colocado frente ao desafio de convergir o presencial e o virtual no processo de formação para a docência. Tais reflexões se fundamentam na premissa de que uma formação experienciada por práticas em que ocorra essa mescla entre o presencial e o virtual (híbrido) possa propiciar ao futuro docente condições que favoreçam a utilização dessa mesma proposta no exercício de sua profissão. Assim, a presente pesquisa se realiza com o objetivo de investigar a efetivação de estratégias e práticas pedagógicas que denotem a ocorrência do ensino híbrido/semipresencial nos cursos de licenciatura da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Este é um trabalho de abordagem qualitativa, do tipo descritivo-exploratório, cujo referencial teórico se apoia em autores que discutem as tecnologias na educação, a formação de professores, as práticas pedagógicas em contexto de cultura digital e o ensino híbrido. Em tempo, a pesquisa se realiza no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da UFMT; se insere na linha de pesquisa Organização Escolar, Formação e Práticas Pedagógicas, dentro da esfera de trabalhos do grupo de pesquisa Laboratório de Estudo sobre as Tecnologias da Informação e Comunicação na Educação (LêTECE).


Palavras-chave


Ensino híbrido; Práticas pedagógicas; Tecnologias da Informação e Comunicação.