Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
O Ensino da Matemática na Perspectiva Escolas do Campo
Andrea Lima Lima dosSantos, MARTA MARIA DARSIE

Última alteração: 01-10-19

Resumo


Este resumo apresenta parte da pesquisa de mestrado que esta sendo desenvolvida junto ao Programa de Pós -Graduação em Educação em Ciências e Matemática, sob a orientação da Profª Drª Marta Pontin Darsie, juntamente com o Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Matemática -GRUEPEM.   A finalidade desta da pesquisa é averiguar se o Ensino da Matemática contemplam os estudantes do campo, de forma  que venha garantir a inclusão social respeitando aspectos: culturais ,históricos , políticos e éticos dessa modalidade de ensino. O estudo trata-se de uma pesquisa qualitativa sendo assim  , um estudo de caso no qual  busca,atarvés de analise  sensibilizar um olhar menos rigoroso ao que tange aos preceitos matemáticos levando-nos educadores a ter um olhar reflexivo e flexível ao que tange ao ensino matemático, no sentido de compreender que esta área do conhecimento, assim como as demais, possuem uma relação histórica humana, que emergem das relações entre homem e ambiente bem como; em suas relações interpessoais. A partir deste preceito busca-se criar uma relação de empatia entre estudante e ciência, alargando está relação; com o intuito de desmistificar que a matemática é um conhecimento para poucos e interferir no processo de descontextualização entre a matemática e a vida social, deixando de atribuir á mesma a responsabilidade de aliciar o estudante  a exclusão, preconceito, baixa autoestima, como fator potencializador à desistência  escolar, deixado no  quanto discente/sujeito, marcas profundas e sensação de incapacidade intectual..

Dentro desta perspectiva a pesquisa busca realizar levantamentos de dados sobre como se  dá o ensino da matemática nas escolas do campo, se equipe gestora e educadores tem conhecimentos sobre as normas que devem ser seguidas pelas legislações e estatutos como: LDB,BNCC,DRC-MT,ECA, Diretos Humanos e Constituição Federal, que compreendem que todos sem restrição, devem ter seus direitos garantidos e preservados ao que tange á educação, que a mesma possa ofertar uma pratica de ensino que valorize o espaço em que o estudante está inserido, sua linguagem, sua cultura e modo no qual se relaciona com o mundo.

Acreditando que o conhecimento se torna permanente através das experiencias e significados, não há como trabalhar conceitos matemáticos sem pensar antes na realidade na qual estudante está inserido, sejam discentes inseridos em escolas urbanas ou do campo. Os apontamentos aqui realizados buscam mostrar o quanto homem, natureza e cálculos estiveram tão confluentes na história humana e o quanto hoje ocupam lugares tão opostos entre estudantes, sociedade e escolas. Nas unidades escolares do campo assim como na cidade, a atuação no ensino da matemática, acontece de forma isolada da vida cotidiana dos estudantes, porém de forma bem mais acentuada e muito mais excludente pois os mesmos lidam com a valorização urbana o tempo todo.. foram constatados em algumas nas escolas do campo a atuação de práticas urbanizadas, na qual os sabres da cidade são valorizados como verdades absolutas e contrariando o campesino.