Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Esportes de Aventura em Mato Grosso: apropriações e mediações contemporâneas
Talita Ferreira, Francisco Xavier Freire Rodrigues

Última alteração: 14-10-19

Resumo


É importante compreender o que se tem produzido sobre o conceito de esporte sem o intuito de descontruir o construído diante de suas especificidades históricas e culturais, já que se tem o entendimento de que o conceito é complexo, amplo e passível de várias perspectivas de análise. Assim, é possível olhar para os esportes de aventura, hoje, como um amplo espectro que continuamente traz provocações, resistência e dificuldades para consenso nas pesquisas acadêmicas. Nesse sentido, o objetivo desta pesquisa é analisar o processo de apropriação esportiva pelos praticantes das modalidades de aventura ofertadas em Mato Grosso a partir de um olhar polissêmico. Ao apresentar cada uma das modalidades de aventura que estão sendo estudadas em Mato Grosso, há de se compreender que por trás de cada praticante, seja ele amador ou profissional, está toda a manifestação de um conjunto de referências e valores que, por fim, determinam de forma inconsciente um modo de pensar, agir e ver o mundo social. Existe uma relação mimética que se estabelece entre a sociedade e o esporte que acabam reforçando uma argumentação sobre as dimensões atribuídas no contexto da contemporaneidade fazendo com que as leituras e análises deste estudo discorram essencialmente sobre as interconexões entre contextos, dimensões e polissemia levando ao cenário mato-grossense uma composição de novos cenários do esporte, conhecidos hoje como “esportes de aventura”. E, nesse cenário, é inegável que toda a ação mercadológica, seja de impacto, emocional ou de pertencimento, se faz presente com o intuito de atingir seus objetivos, metas. Para tanto, a pesquisa se caracteriza como qualitativa, descritiva e exploratória e a coleta de dados ocorre em diferentes espaços, de modo a atender aos objetivos de análise. Inicialmente, as modalidades estudas são: corridas de aventura, rafting e rapel ou cachoeirismo, já que a partir de uma pesquisa de campo, identificou-se que estas têm sido as modalidades de maior oferta e demanda no Estado. A partir dessa compreensão é que se pretende evidenciar as principais referências interpretativas e analíticas dessas modalidades para proceder a análise da tese a partir da composição de um modelo cuja base se apresenta numa perspectiva ampliada e de múltiplos sentidos, significados, contextos e dimensões, a teoria analítica do 5Es – Estética, Ética, Emoções, Espetáculo e Educacional. Esse modelo busca construir uma referência de análise do esporte a partir de cinco dimensões localizadas no contexto macrossocial as quais permitem melhor situar, compreender e discutir o fenômeno esportivo em sua complexidade de relações.  Para a coleta de dados serão utilizados instrumentos como entrevistas, questionários e a observação participante completa (diferente de periférica e de ativa) narrando as emoções que fluem na realização dessa prática em consonância com a literatura científica do campo das emoções. Desse modo, espera-se que, ao final da pesquisa, consiga-se entender a polissemia presente nos esportes de aventura na contemporaneidade a partir de contextos socioculturais diversificados em constante desenvolvimento para além da profissionalização, mercantilização e espetacularização.


Palavras-chave


Esportes de Aventura; Polissemia; Mediações Culturais