Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
BASQUETE EM CADEIRAS DE RODAS PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA MOTORA EM MATO GROSSO: termogênese, saúde, esporte, acessibilidade e qualidade de vida
Felipe Amorim Zarour, Daniella A Souto Rodrigues, Ruberlei Godinho Oliveira, Benedito Robson Monteiro Andrade, Adeliana Cristina S Santos, Ramirie Nunes Cavalcante, Amanda C. Bini Napoleão, Waleria C. Rezende Fett, Dalianna Luise Andrade Souto Rodrigues, Joilson Tavares, Michelle J Kommers, Alberto Bicudo Salomão, Carlos Alexandre Fett, Rosilene A Silva, Roberto Marques de Freitas

Última alteração: 09-10-19

Resumo


BASQUETE EM CADEIRAS DE RODAS PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA MOTORA EM MATO GROSSO: termogênese, saúde, esporte, acessibilidade e qualidade de vida

Rosilene Andrade Silva1 Felipe Amorim Zarour2 Roberto Luis M. de  Freitas3 Ruberlei G. de Oliveira4 Daniella A. A. Souto Rodrigues5 Benedito Robson M. de Andrade6 Adeliana Cristina S. Santos7 Ramirie Nunes Cavalcante8 Amanda C. Bini Napoleao9 Waléria C. Rezende Fett10 Dalianna L. A. Souto Rodrigues11 Michelle J. Kommers12, Joilson Tavares13 Alberto Bicudo Salomão14 Carlos Alexandre Fett15

Introdução: as pessoas com deficiência (PCD) motora que utilizam as cadeira de rodas (CR) ou outros meios auxiliares de locomoção (MAL) como órteses, próteses, talas, tutores, têm maiores chances para complicar agravando as doenças osteomusculares. As lesões de pressão fatores de risco para a morbidade e mortalidade por doenças infecciosas devido aumento de chances em contaminar por bactérias tanto gram negativas quanto gram positivas. Ainda, o comportamento sedentário, o sobrepeso ou obesidade são fatores de risco para a morbidade e mortalidade por doenças cardíacas. No entanto, a redução da gordura corporal, o exercício físico regular, a melhora dos marcadores bioquímicos tem demonstrado serem fatores protetivos e auxiliares na qualidade de vida das PCD motora. Dessa forma é importante a prevenção de lesões, com prescrição de boas cadeiras de rodas, conferir o uso de talas ou tutores, órteses e próteses com diminuição de sensibilidade evitando as lesões secundárias e agravos a saúde.  Assim,  prática desportiva pode auxiliar na inclusão social, melhorar aspectos de saúde física e mental e reduzir as barreiras de acessibilidade. Objetivos: analisar os eventos adversos (EA) à saúde nas pessoas com deficiência (PCD) motora numa pesquisa de ensaio clinico. Métodos: estudo qualitativo descritivo e quantitativo, em PCD num ensaio clínico de pesquisa do Hospital Universitário Júlio Müller, da Baixada Cuiabana-MT, Brasil. A amostra triada (n=320) representativa da população PCD com sorteio para recrutamento (n=100), e randomizada para avaliação e alocados as PCD do sexo masculino (n=48). A coleta foi realizada pelos métodos de triangulação de dados: primários coletados por entrevista estruturada, e a observação foram feitas anotações em diário de campo; dados secundários oriundos do registro PCD no sistema único de saúde (SUS). Para o constructo descritivo adotou-se os conceitos de EA e o modelo de informação mínima de segurança de paciente (MIM-SP) da Organização Mundial da Saúde (OMS). Para análise de dados foi utilizada a temática de Bardin, com finalidade de sistematização de categorias que consistiu em três fases cronológicas: pré-análise, exploração das respostas e o tratamento dos resultados.  Resultados: Foram encontrados EA à saúde das PCD acometendo o estado físico (úlcera de pressão=21%, infecção de urina=40%,). Considerações finais: existe importante percentual das PCD investigados com condições complexas de EA impactando a saúde. Diante do prognóstico de deficiência permanente precisa melhorar a assistência e reabilitação. Portanto, denota-se a importância em capacitar os profissionais de saúde, dos educadores físicos durante treinamento, dos familiares e cuidadores para evitar lesões de pressão levando na PCD motora agravos à saúde.



Palavras-chave


lesão osteomuscular, acessibilidade, medicina esportiva, qualidade de vida.