Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Hostels em Mato Grosso: na cultura do “local”
DÉBORA MOREIRA MELLO

Última alteração: 17-10-19

Resumo


A presente pesquisa de doutorado situa-se na interseção das temáticas do Turismo, Cultura e Comunicação. A prática do Turismo é pensada como um valioso instrumento de enriquecimento da experiência cultural para a sociedade envolvida nessa atividade e para os indivíduos que partilham esses momentos. Nossa visada parte da seguinte pergunta condutora: como os processos comunicativos são acionados em lugares específicos do fazer/viver do Turismo em Mato Grosso, no meio de hospedagem dos Hostels, que podem fazer parte da rede dos Albergues da Juventude ou serem independentes. Apesar de estar presente no país desde 1961, não existe, atualmente, uma classificação oficial sobre ele, por parte do Ministério do Turismo, visivelmente este tipo de hospedagem encontra-se marginalizado pelas autoridades e pesquisadores nacionais, poucos estudos são realizados sobre esse meio de hospedagem. Pensamos ser necessário um maior número de pesquisas e abordagens conceituais, a fim de que se possa ampliar um conhecimento útil tanto os empreendedores quanto os hóspedes que procuram pelos mesmos. Partimos da visada conceitual de olhar a experiência de se hospedar num Hostel como um Acontecimento, que acionam narrativas próprias, e de Enquadramento, buscando ver como se articulam os processos comunicativos - entre os jovens, presencialmente; nas interações mediadas entre eles e entre os jovens e os sites dos albergues. Como eixo teórico, trazemos a noção relacional de Comunicação de Vera França, e os conceitos operadores de Acontecimento com a obra de Louis Quéré e de Enquadramento com Erving Goffman. Do Turismo incorporamos as noções de John Urry e o olhar do turista e Jofre Dumazedier que traz o lazer como um acontecimento social. Todos os Hostels do estado de Mato Grosso serão selecionados para a pesquisa, que atualmente compõe 16 estabelecimentos de hospedagem. A base empírica tem como apoio entrevistas e aplicação de questionários aos alberguistas hospedados, que será interligada com as formas de comunicação institucional dos albergues e os vídeos e fotos que os turistas compartilham sobre essa experiência. Para a análise metodológica será utilizada a qualiquantitativa ou mista e, como técnica, softwares para a análise dos dados, os vídeos e fotos que os turistas dos albergues compartilham nesta experiência, além dos vídeos e fotos dos próprios albergues usam na interação com os turistas.


Palavras-chave


Hostel. Turismo. Mato Grosso. Cultura. Comunicação