Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, XI Mostra da Pós-Graduação

Tamanho da fonte: 
Qualidade de grãos de soja cultivados em sistemas integrados
Ícaro Souza

Última alteração: 02-10-19

Resumo


Com a crescente demanda por alimentos e energia é necessário à busca de sistemas alternativos de produção agrícola, visando manter elevada a qualidade dos cultivos e a conservação dos recursos do ambiente. Nesse sentido, o sistema integrado lavoura-pecuária-floresta (iLPF) baseia-se na associação das atividades agrícolas, pecuárias e florestais, na mesma área. Assim, tem-se a possibilidade de empregar a rotação e consorciação de cultivos de grãos com forrageiras e espécies arbóreas, para produzir em uma mesma área ao longo do ano, grãos, carne, leite e produtos madeireiros, por exemplo. Além disso, podem ser utilizados outros métodos de conservação do solo, como o sistema de plantio direto, em conjunto com o sistema integrado para agregar na manutenção dos recursos naturais. Dessa forma, o sistema integrado, potencializa o uso da área sem a necessidade de desmatar áreas nativas e contribui para os atributos físicos, químicos e biológicos do solo. Por outro lado, o desafio do uso do sistema integrado é determinar todos os efeitos sinérgicos que acontecem na interação desses componentes, floresta e cultivo, como na competição por luz e água, sem alterar a qualidade do produto agrícola. Logo, o objetivo desse trabalho é avaliar se a qualidade dos grãos de soja é influenciada pelo sistema integrado de produção. Para isso, serão avaliados os grãos produzidos nos seguintes tratamentos nas safras de 2017/2018 e 2018/2019: 1 - Sistema de produção lavoura exclusivo (L), como testemunha; 2 - Sistema de integração lavoura-floresta (iLF), com renques triplos de eucalipto (Eucalyptus urograndis -clone H13) com espaçamento de 30 m entre renques x 3,0 m entre árvores x 3,5 m entre linhas e lavoura nos entre renques conforme sistema L e 3 - Sistema de integração lavoura-pecuária-floresta (iLPF), área com cultivo de eucalipto em linhas simples espaçadas de 37 metros entre si, cultivadas anualmente com soja no verão e milho consorciado com capim na safrinha, sendo que após a colheita do milho, o pasto é utilizado para alimentação animal por dois meses. Assim, será possível analisar variáveis operacionais como distância entre lavoura (soja) e floresta (eucalipto) e a influência da presença do eucalipto na face de plantio norte sul sobre a soja.  Posteriormente, os grãos serão avaliados quanto as suas características físicas, como o teor de água, massa específica aparente, massa específica real, massa de mil grãos e coordenadas de cor. Será realizado, também, a composição centesimal dos grãos, como água, proteínas, fibras, lipídeos, cinzas e carboidratos. Portanto, espera-se que com os dados seja possível contribuir para a escolha de uma configuração na associação eucalipto e soja, auxiliando na tomada de decisão em áreas com o uso do sistema integrado, busca de nichos de mercado e como referência em futuros estudos sobre sistema integrados com outras espécies vegetais. Portanto, com os dados das características físicas e da composição centesimal da soja, determinar-se-á se houve influência do sistema de produção na qualidade do grão.

Palavras-chave


integração lavoura-floresta, pós-colheita, propriedades físicas